Acorda Cidade - Dilton Coutinho

03 de Julho de 2020
Facebook Twitter WhatsApp
WhatsApp 75 98297 4004
Rádio Acorda Cidade

Coronavírus (COVID-19) - Feira de Santana

Dilton e Feito

Todas as notícias
Publicado em 29/11/2019 15h48.

Proposta anula decreto que criou programa de escolas cívico-militares

A anulação do Decreto 10.004/19 foi pedida pelo deputado Ivan Valente (Psol-SP), com apoio da bancada do Psol.
Mudar o tamanho da letra: Aumentar letra Diminuir letra
Proposta anula decreto que criou programa de escolas cívico-militares
Foto: Luis Macedo/Câmara dos Deputados

O Projeto de Decreto Legislativo (PDL) 643/19 propõe suspender o decreto do presidente Jair Bolsonaro que criou o Programa Nacional das Escolas Cívico-Militares (Pecim), por meio do qual a gestão de escolas públicas de ensino fundamental e médio será compartilhada entre educadores e militares, das Forças Armadas e polícias. A anulação do Decreto 10.004/19 foi pedida pelo deputado Ivan Valente (Psol-SP), com apoio da bancada do Psol. Segundo ele, a “militarização do ensino público”, que cresceu a partir de 2013, está sendo feita sem que se saiba o impacto na qualidade da educação pública ou as implicações da presença de militares, inclusive inativos, em uma área estranha à sua formação e atuação. Para Valente, o decreto afronta a legislação educacional, entre outros motivos, por não respeitar a autonomia pedagógica e administrativa das escolas. “Os entraves legais para a implementação do Pecim são evidentes”, disse. O deputado afirmou ainda que a militarização das escolas civis vem sendo questionada pelo Judiciário e pelo Ministério Público em diversos estados, já que o Pecim é executado em parceria com estados, Distrito Federal e municípios. "Na Bahia, o Ministério Público Federal, instruiu as escolas públicas municipais que passaram a ter gestão compartilhada com a Polícia Militar a deixar de restringir a liberdade de expressão e a intimidade ou violar a vida privada dos alunos", exemplificou.

Tramitação

O projeto será analisado pelas comissões de Educação; e Constituição e Justiça e de Cidadania (CCJ). Depois seguirá para o Plenário da Câmara. As informações são da Agência Câmara. 

Comentários

AVISO: os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Acorda Cidade.
É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O Acorda Cidade pode até retirar, sem prévia notificação, comentários ofensivos e com xingamentos e que não respeitem os critérios impostos neste aviso.



Mais Notícias

Deputado pede alteração em nome oficial na Alba para 'Tom é meu amigo'
Política

Deputado pede alteração em nome oficial na Alba para 'Tom é meu amigo'

O requerimento foi publicado no Diário da Assembleia Legislativa desta quinta-feira (2), e solicitado na vés...

Após declaração polêmica de prefeito, governo da Bahia anuncia toque de recolher em Itabuna
Bahia

Após declaração polêmica de prefeito, governo da Bahia anuncia toque de recolher em Itabuna

Segundo governador Rui Costa, decreto vai ser publicado na sexta-feira (3) e começa a valer no mesmo dia.

Pressionado pela Fecomércio, Rui questiona se baianos querem admitir 3 mil mortes por mês
Política

Pressionado pela Fecomércio, Rui questiona se baianos querem admitir 3 mil mortes por mês

'Estamos há duas semanas com a média de 50 mortes por dia. Isso, em vinte dias, dá mil mortes. Em trinta di...

Vídeo

Entregadores de apps de Feira de Santana aderem a greve nacional e reivindicam melhores condições de trabalho Veja mais Vídeos ›

Facebook

Instagram