Política

Lewandowski suspende trechos do decreto de Bolsonaro sobre construção em cavernas

O decreto de Bolsonaro autoriza a realização de intervenções em cavidades naturais subterrâneas, como cavernas, grutas e furnas, foi publicado no Diário Oficial da União no dia 12 de janeiro.

24/01/2022 14h14, Por Maylla Nunes

image image image image image

Compartilhe essa notícia

image image image image image

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

O ministro Ricardo Lewandowski, do Supremo Tribunal Federal (STF), suspendeu nesta segunda-feira (24) trechos do decreto do presidente Jair Bolsonaro que autoriza construções em áreas de cavernas.

Na decisão, Lewandowski apontou “risco de danos irreversíveis às cavidades naturais subterrâneas e suas áreas de influência” e afirmou que a norma “imprimiu verdadeiro retrocesso na legislação ambiental", o que justifica a suspensão de partes do decreto até a análise do caso pelo plenário do STF.

A ação foi apresentada ao STF pela Rede Sustentabilidade. No documento, o partido informa que o decreto de Bolsonaro “representa um grave retrocesso ambiental e um acinte à necessária proteção ao patrimônio histórico, cultural, artístico, turístico e paisagístico

“Como se vê, sem maiores dificuldades, o Decreto 10.935/2022 imprimiu um verdadeiro retrocesso na legislação ambiental pátria, ao permitir – sob o manto de uma aparente legalidade – que impactos negativos, de caráter irreversível, afetem cavernas consideradas de máxima relevância ambiental, bem assim a sua área de influência, possibilidade essa expressamente vedada pela norma anterior”, escreveu o ministro.

O decreto de Bolsonaro autoriza a realização de intervenções em cavidades naturais subterrâneas, como cavernas, grutas e furnas, foi publicado no Diário Oficial da União no dia 12 de janeiro.

Fonte: Bahia Notícias 

Compartilhe essa notícia

image image image image image image

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Captcha

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

Mais Notícias

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

image

Rádio acorda cidade