Educação

Inep descarta novo adiamento do Enem: ‘Estamos preparados’, afirma presidente

Instituto alega que medidas de proteção serão adotadas em todos os locais de prova

07/01/2021 15h52, Por Laiane Cruz

image image image image image

Compartilhe essa notícia

image image image image image

PUBLICIDADE

Acorda Cidade

Diante do aumento de casos de infecção pelo novo coronavírus no Brasil, estudantes e governos estaduais, como o da Bahia, solicitaram ao Ministério da Educação (MEC) o adiamento das provas do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) 2020, previstas para serem aplicadas em janeiro e fevereiro deste ano. No entanto, o presidente do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), Alexandre Lopes, descartou a possibilidade e alegou que o exame será realizado com segurança nas datas previstas em edital.

O Enem 2020 estava previsto para novembro, mas foi remarcado após consulta popular. Assim, o exame será realizado nos dias 17 e 24 de janeiro (versão impressa) e 31 de janeiro e 7 de fevereiro (versão digital). Para esta edição, 5.783.357 candidatos estão confirmados.

De acordo com o presidente do Inep, o Instituto está preparado para executar o Enem garantindo a segurança dos participantes. "A ideia nunca foi fazer a prova só depois que acabasse a pandemia. Não existia nem perspectiva de vacinação naquela época, quando a gente fixou a data da prova em janeiro. O que a gente fez foi se preparar para fazer a prova em ambiente de pandemia, e estamos preparados”, afirmou Lopes ao G1.

Prevenção

De acordo com o Inep, não haverá planejamento especial para os locais que estejam com aumento no número de casos. Sete estados estão com tendência de alta: AC, AM, PA, RR, TO, RN e SE que, juntos, têm 831.641 inscritos no Enem 2020, o que representa 14,3% do total.

As provas vão ser feitas aos domingos, quando há menor circulação de pessoas nas cidades. A abertura dos portões ocorrerá como nas edições anteriores: abrem às 12h e fecham às 13h. O período não será estendido.

Para Lopes, ambiente de provas é diferente de aulas e, por isso, é inadequado fazer comparações. "As pessoas vão, como sempre em ambiente de prova, permanecer em silêncio. As pessoas não vão estar interagindo, trocando, elas vão sentar com espaçamento em silêncio e depois vão para as suas casas", pontua o presidente do Inep.

Ainda conforme o Instituto, as medidas de prevenção adotadas contra o novo coronavírus serão as mesmas para todos os lugares.

Entre as medidas de prevenção estão:

– Uso obrigatório de máscaras para candidatos e aplicadores;
– Disponibilização de álcool em gel nos locais de prova e nas salas;
– Recomendação de distanciamento social no deslocamento até as salas de provas;
– Identificação de candidatos do lado de fora das salas, para evitar aglomeração – haverá marcações no piso para ter distanciamento, caso haja fila;
– Contratação de um número maior de salas, de 140 mil locais de aplicação em 2019 para 200 mil em 2021;
– Salas de provas com cerca de 50% da capacidade máxima;
– Candidatos idosos, gestantes e lactantes ficarão em salas com 25% da capacidade máxima;
– Higienização das salas de aulas, antes e depois do exame.

Candidatos com Covid

O Enem será reaplicado para quem tiver doenças infectocontagiosas como sarampo, rubéola, varicela e coqueluche, por exemplo, e Covid.

Quem tiver diagnóstico positivo e laudo médico comprovando a situação de saúde uma semana antes das provas poderá acessar a Página do Participante, anexar os documentos, e pedir para refazer o exame em 23 e 24 de fevereiro. Caso os sintomas apareçam na véspera do exame, recomenda-se ligar para o número 0800-616161. A partir das informações prestadas, o Inep vai analisar cada caso para conceder ou não o direito à reaplicação.

Fonte: Agência Educa Mais Brasil
 

Compartilhe essa notícia

image image image image image image

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

Mais Notícias

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

image

Rádio acorda cidade