Feira de Santana

Familiares pedem ajuda para casal de idosos que teve a casa incendiada

Após o susto, os familiares agora buscam forças para reconstruir a casa que foi parcialmente destruída.

09/05/2022 17h42, Por Rachel Pinto

image image image image image

Compartilhe essa notícia

image image image image image

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

Gabriel Gonçalves

O casal de idosos, Ivaldo Lustoza, 86 anos e a esposa Aline Lustoza, 82, está residindo temporariamente na casa da filha, Ivaline Lustoza no Conjunto Feira X em Feira de Santana, após ter a casa, que fica localizada na Rua Leolinda Bacelar, bairro Ponto Central, incendiada na madrugada desta segunda-feira (9). Eles foram salvos pelo cachorro Bob e pela cuidadora que viram as chamas antes que o fogo se alastrasse e pudesse atingi-los.

Foto: Ed Santos/Acorda Cidade

Após o susto, os familiares agora buscam forças para reconstruir a casa que foi parcialmente destruída. Ao Acorda Cidade, a filha Ivaline Lustoza, contou que ainda não teve condições de retornar no local do imóvel para verificar os estragos.

"Eu ainda não tive condições de retornar lá, pois fiquei aqui com meu pai e minha mãe cuidando deles. Meu sobrinho Thiago que está verificando as coisas, mas pelo que já temos ciência, a casa ficou destruída da cozinha para frente, lá na região do fundo não teve muito estrago. Nós estamos esperando meu irmão que está vindo de Brasília, meu pai está acamado, tem neuropatia dos nervos, ele fica o tempo inteiro na cama ou então na cadeira de rodas, ele tem também Alzheimer e é acompanhado o tempo inteiro por uma equipe de enfermagem", explicou.

De acordo com Ivaline, os pais moram na casa há mais de 50 anos e por esse 'apego' emocional, a mãe Aline Lustoza, quer logo retornar para a residência.

"Minha mãe está aqui, mas a todo momento dizendo que é para limpar o terreno para voltar a morar lá no fundo, enquanto constrói o que foi destruído. São mais de 50 anos que eles moram naquela casa, então existe esse apego, eles estão aqui no Feira X, mas ela não quer ficar por muito tempo, ela é aposentada, meu pai também recebe aposentadoria pelo INSS, mas infelizmente são dias difíceis, temos a equipe de enfermagem, é saindo um profissional e já entrando outro para revezar as escalas, ambos já estão vacinados contra a Covid-19 e neste momento, o maior desejo dela, é querer voltar para casa", contou.

Além desse desafio em reconstruir a casa, Ivaline contou ao Acorda Cidade que todos os materiais de higiene pessoal, além dos medicamentos foram queimados.

"Estamos precisando de fraldas descartáveis no tamanho Extra G e G, porque os enfermeiros acabam utilizando duas, uma para envolver a parte genital e outra para utilizar no momento que ele quer urinar. Como ele não consegue levantar da cama, ele faz na fralda mesmo. Além disso, existem outros medicamentos que ele utiliza e são caros, tem um por exemplo que custa R$ 250", explicou.

Por conta do Alzheimer, o idoso Ivaldo Lustoza faz uso do medicamento a base de canabidiol. Segundo Ivaline, esse medicamento também foi perdido no incêndio.

"Eu fico muito emocionada quando começo a lembrar de cada cômodo da casa, meu pai por exemplo tinha um acervo com vários discos que ele ouvia, discos gravados porque ele também cantava em seresta e que foi queimado. Mesmo que meu pai tenha Alzheimer, ele consegue lembrar das coisas e está lúcido devido ao medicamento que ele faz uso, que é a base de canabidiol, então ele me pergunta onde estão as coisas dele, ele lembra das pessoas e justamente este medicamento que é tão importante, pegou fogo. Hoje meu irmão precisou preencher um cadastro nacional para ter acesso à esse medicamento, mas ainda estamos na busca dos outros que ainda faltam. Minha mãe por exemplo, tinha retirado um dinheiro do banco e tinha guardado, ela disse que iria usar nessa semana, já que meu irmão já iria vir de Brasília para cá na quarta-feira, como teve isso, ele conseguiu antecipar a viagem, mas até o dinheiro que ela tinha guardado, cerca de R$ 1.200, ela perdeu. A gente sabe que os idosos possuem esse hábito de guardar em casa, colocar no guarda-roupa e tudo foi perdido", concluiu.

A família do casal de idosos, criou uma vakinha online para arrecadar recursos. (https://www.vakinha.com.br/vaquinha/ajude-meus-avos-a-reconstruirem-sua-casa)

Para quem quiser ajudar com outras doações, o número de telefone da filha Ivaline é : 75991133512

 

Com informações da produtora Maylla Nunes do Acorda Cidade

 

Leia também: 
'Se não fosse Bob, eu teria morrido', diz dona de cachorro que alertou sobre incêndio em residência

Cachorro e cuidadora salvam idosos de incêndio em Feira de Santana

 

Siga o Acorda Cidade no Google Notícias e receba os principais destaques do dia. Participe também dos nossos grupos no WhatsApp e Telegram

Compartilhe essa notícia

image image image image image image

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

Mais Notícias

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

image

Rádio acorda cidade