Acorda Cidade - Dilton Coutinho

29 de Janeiro de 2022
Facebook Twitter WhatsApp
WhatsApp 75 98297 4004
Rádio Acorda Cidade

Coronavírus (COVID-19) - Feira de Santana

Vladimir Aras

Todas as notícias
Publicado em 07/12/2021 13h09.

O caso Al Mahdi, de Timbuktu: um crime contra o patrimônio cultural da humanidade

O réu, foi condenado naquele ano por crimes de guerra, pela destruição de edifícios históricos na incrível cidade de Tombuctu (Timbuktu) no Mali.
Mudar o tamanho da letra: Aumentar letra Diminuir letra
O caso Al Mahdi, de Timbuktu: um crime contra o patrimônio cultural da humanidade
Foto: Reprodução

Por Vladimir Aras

O caso Al Mahdi, julgado em 2016 pelo Tribunal Penal Internacional (TPI) é um daqueles episódios tristes, que nos fazem lamentar pelos bens culturais de valor inestimável que foram destruídos em guerras e em ocupações.

Ahmad al-Faqi Al Mahdi, o réu, foi condenado naquele ano por crimes de guerra, pela destruição de edifícios históricos na incrível cidade de Tombuctu (Timbuktu) no Mali.

Foto: Manuel Toledo/Reprodução

Foram destruídos vários mausoléus dos séculos 14 e 15, quando Timbuktu era um importante centro de ensino religioso. Além desses locais de veneração, a mesquita Sidi Yahia também foi atacada e teve sua porta principal destruída. Esses crimes internacionais foram cometidos em 2012 pela organização extremista islâmica Ansar Dine, ligada à Al Qaeda no Magreb Islâmico.

Foto: Reprodução

As edificações eram listadas pela UNESCO como patrimônios culturais da humanidade. Timbuktu é uma pérola no deserto. Em 2017, complementando a condenação proferida no ano anterior, o TPI estabeleceu o dever de reparação e compensação às vítimas da comunidade, por danos materiais e morais. Coube ao Fundo para as Vítimas (The Trust Fund for Victims), previsto no Estatuto de Roma de 1998, assumir as reparações e indenizações.

Quando um réu sentenciado pelo TPI é considerado “indigente”, isto é, economicamente hipossuficiente, The Trust Fund for Victims (TFV) indeniza as pessoas atingidas pelo crime. Era o caso de Al Mahdi, que foi condenado a 9 anos de prisão e ao pagamento de 2,7 milhões de euros às vítimas, após formalizar o primeiro acordo penal de admissão de culpa da história do TPI.

Fotos: Reprodução

Comentários

AVISO: os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Acorda Cidade.
É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O Acorda Cidade pode até retirar, sem prévia notificação, comentários ofensivos e com xingamentos e que não respeitem os critérios impostos neste aviso.



Mais Notícias

Um tribunal de exceção na França de Vichy
Artigo

Um tribunal de exceção na França de Vichy

A seção (câmara) especial do Tribunal de Apelação de Paris foi instalada em 26 agosto de 1941.

O caso Vavřička e outros vs. República Tcheca (2021): vacinação obrigatória e direitos fundamentais
Artigo

O caso Vavřička e outros vs. República Tcheca (2021): vacinação obrigatória e direitos fundamentais

Tal interferência decorreu de previsão legal e buscou o fim legítimo de proteger a saúde e os direitos de ...

Vídeo

Covid-19: com poucos funcionários, drive-thru da prefeitura gera longas filas na Ayrton Sena Veja mais Vídeos ›

Ouça Agora

Programa desta sexta-feira 28.01.22:
Mais áudios ›

Facebook

Instagram