Acorda Cidade - Dilton Coutinho

18 de Setembro de 2021
Facebook Twitter WhatsApp
WhatsApp 75 98297 4004
Rádio Acorda Cidade

Coronavírus (COVID-19) - Feira de Santana

Artigos e Crônicas

Todas as notícias
Publicado em 28/11/2020 08h47.

Das coisas que aprendi nos discos: Dire Straits - Dire Straits, 1978

Este LP é o mais contido do Dire Straits. E embora tivesse o Hit Sultans of Swing, foi nos anos seguintes que a banda mostrou seu grande potencial.
Mudar o tamanho da letra: Aumentar letra Diminuir letra
Das coisas que aprendi nos discos: Dire Straits  - Dire Straits, 1978
Foto: Arquivo/Agência Brasil

Por Carlos H. Kruschewsky*
.
"Goodnight, now it's time to go home
And he makes it fast with one more thing
We are the Sultans, we are the Sultans of Swing"

.
Mark Knopfler. Decore esse nome! E se você gosta de guitarra e não conhece esse cara... bem, provável que você esteja aprendendo o instrumento errado. Nascido na Escócia, Mark mudou-se para a Inglaterra e começou a estudar guitarra ainda criança com seu irmão mais novo. Formou-se em jornalismo, mas queria mesmo era viver da música e, como todo músico, saltou de banda em banda. Então tratou de trabalhar como jornalista num jornal local e escrever críticas de música.

David Knopfler, irmão de Mark, morava em Londres com um amigo, John Illsley, que ganhava uns trocados tocando contrabaixo. Com a chegada de Mark, à Londres, juntos começaram a tocar em Pubs. Não demorou para convidarem um baterista, David "Pick" Withers, e fundarem a banda Café Racers. Daí foram tocar em um festival de Punk. O Show foi um fiasco, o que era de se esperar. Knopfler tinha um estilo muito particular de tocar, sempre com os dedos (sem palheta) e sua guitarra era bastante Swingada. Praticamente tocaram para o mato e uma meia dúzia de gatos pingados. Foi ao ver isso, que um amigo sugeriu (como uma piada) o nome Dire Straits (uma expressão em inglês para quem está com sérios problemas financeiros). E esse foi o estopim.

Com o quarteto montado e o nome definido, o Dire Straits estava pronto pra grava sua primeira demo, de nome Sultans of Swing. O curioso é que este é o disco de estreia do Dire Straits e, diferente do que a gente pode imaginar sobre as grandes bandas de rock, foi um LP que quase não fez barulho na Inglaterra. Enquanto isso, do outro lado do Atlântico, Sultans of Swing fazia um sucesso estrondoso. Foi somente quando um DJ londrino começou a vincular a música nas baladas inglesas, que eles despontaram a ponto de ficar em 2° lugar nas listas de melhores hits.

Este LP é o mais contido do Dire Straits. E embora tivesse o Hit Sultans of Swing, foi nos anos seguintes que a banda mostrou seu grande potencial. Sem dúvida, é um disco incrível! vou listar minhas faixas favoritas.
.
MELHORES FAIXAS:
.
• Down to the Waterline
• Water of Love
• Sultans of Swing
.
*Carlos H. Kruschewsky é psicólogo, psicanalista, presidente do Dragornia Moto Club, BeerSommelier, Homebrewer, sócio da Dragornia Cervejaria e Colecionador de Discos. Instagram: @sr.ck @dragornia 

Leia também:

Das coisas que aprendi nos discos: Alucinação - Belchior, 1976

Das coisas que aprendi nos discos: As Quatro Estações - Legião Urbana, 1989

Das coisas que aprendi nos discos: Mamonas Assassinas, 1995

Das coisas que aprendi nos discos: Sgt. Pepper's Lonely Heart Club Band - The Beatles, 1967

Das coisas que aprendi nos discos: Krig-ha, Bandolo! - Raul Seixas, 1973

Das coisas que aprendi nos discos: Appetite for Destruction - Guns n' Roses, 1989 

Das coisas que aprendi nos discos: Paulo Diniz - Paulo Diniz, 1985

Comentários

AVISO: os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Acorda Cidade.
É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O Acorda Cidade pode até retirar, sem prévia notificação, comentários ofensivos e com xingamentos e que não respeitem os critérios impostos neste aviso.



Mais Notícias

25 de Julho: Dia da Mulher Negra Latino-americana e Caribenha
Artigo

25 de Julho: Dia da Mulher Negra Latino-americana e Caribenha

Conforme dados do IBGE, 54% da população brasileira se identifica como negra.

São João é bom demais
Artigos e crônicas

São João é bom demais

Uma festa ver as cobrinhas correrem atrás da gente, soltar os vulcões e chuveirinhos.

A escrita afetuosa cria empatia e aumenta conexões
Paixão pela Escrita

A escrita afetuosa cria empatia e aumenta conexões

Mulheres contam como suas experiências com a escrita lhe fizeram bem

Vídeo

Moradores do povoado Santa Quitéria realizam protesto contra construção de muro de condomínio Veja mais Vídeos ›

Ouça Agora

Programa desta sexta-feira 17.09:
Mais áudios ›

Facebook

Instagram