Feira de Santana

Segmentos do comércio autorizados abrir devem cumprir protocolos de proteção sanitária contra o coronavírus

É o que determina o decreto municipal, que dispõe sobre as novas medidas para conter a transmissão do vírus no município. O documento assinado pelo prefeito Colbert Martins Filho foi divulgado no último sábado.

30/03/2020 16h30, Por Maylla Nunes

image image image image image

Compartilhe essa notícia

image image image image image

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

Acorda Cidade

Os estabelecimentos comerciais, considerados de natureza essenciais, autorizados a funcionar nesse período de enfrentamento ao coronavírus (Covid-19), em Feira de Santana, deverão respeitar estritamente os protocolos de proteção sanitária demandados pela situação atual.

É o que determina o decreto municipal, que dispõe sobre as novas medidas para conter a transmissão do vírus no município. O documento assinado pelo prefeito Colbert Martins Filho foi divulgado no último sábado, (28).

Todos os setores autorizados a funcionar deverão garantir a higienização contínua do local e pessoal, bem como a observação da não aglomeração de pessoas nesses espaços, seguindo as recomendações expedidas pelas autoridades sanitárias competentes, inclusive a Organização Mundial de Saúde (OMS).

Poderão manter o funcionamento os mercados, supermercados, hipermercados, açougues, frigoríficos, granjas, peixarias, lojas de hortifrutigranjeiros, as feiras livres de produtos alimentícios, o Centro de Abastecimento, os postos de combustíveis, revendedores de gás, as farmácias, instituições bancárias, correspondentes bancários e casas lotéricas.

Também estão autorizadas a abrir as lojas do setor da construção civil e sua cadeia produtiva, lojas de autopeças, borracharias, oficinas mecânicas e demais estabelecimentos relacionados à manutenção de veículos automotores, serviços de transporte e logística, serviços de segurança privada, além de estabelecimentos de vendas de material de limpeza e as lojas que comercializam Equipamentos de Proteção Individual (EPIs).

Os serviços de atendimento delivery estão mantidos. As empresas do setor de serviços, os profissionais liberais, as clínicas (humanas e veterinárias) e congêneres também não se incluem entre os estabelecimentos que devem ser fechados.

Outra parte do comércio local, bem como bares e restaurantes, continuarão fechados até o dia 6 de abril. As aulas em escolas públicas e particulares também seguem suspensas até 19 de abril.

De acordo com o decreto municipal o não cumprimento das medidas estabelecidas “será caracterizado como violação à legislação municipal e sujeitará o infrator às penalidades e sanções aplicáveis, inclusive, no que couber, cassação de licença de funcionamento”.

As informações são da Secretaria Municiapal de Comunicação

Compartilhe essa notícia

image image image image image image

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

Mais Notícias

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

image

Rádio acorda cidade