Bem-estar

Estilo de vida pode reduzir impactos da TPM, condição que atinge 80% das mulheres

Um conjunto de mais de 200 sintomas físicos, emocionais e comportamentais caracterizam a Síndrome Pré-Menstrual.

09/07/2024 às 18h16, Por Acorda Cidade

Compartilhe essa notícia

TPM
Foto: Freepik

Em muitos casos, a Tensão Pré-Menstrual exige tratamentos medicamentosos para controlar os sintomas e devolver a qualidade de vida às mulheres que sofrem com a Síndrome. Associado ao tratamento, os bons hábitos podem ajudar a reduzir os desconfortos do período que antecede o ciclo menstrual.

📲 NOTÍCIAS: siga o canal do Acorda Cidade no WhatsApp

Um conjunto de mais de 200 sintomas físicos, emocionais e comportamentais caracterizam a Síndrome Pré-Menstrual, mais conhecida pela sigla TPM (Tensão Pré-Menstrual), que atinge 80% das mulheres brasileiras em idade reprodutiva. Variações de humor, irritabilidade, cólicas, fadiga, inchaço (retenção de líquidos), depressão, dores nas pernas, fome aumentada e compulsão por doces, aumento das mamas e dor nesses órgãos, constipação e insônia são alguns dos sintomas frequentes da TPM.  “A Síndrome é cíclica e recorrente, as mulheres que sofrem de Tensão Pré-Menstrual, mensalmente, precisam enfrentar um ou mais sintomas. A intensidade e os sintomas variam para cada paciente, sendo que o histórico de saúde, a idade, o estilo de vida e o próprio ciclo menstrual influenciam na forma como a TPM se manifesta”, esclarece Airton Ribeiro, ginecologista e diretor médico da CAM.   

A Síndrome Pré-Menstrual é causada por alterações na produção de hormônios femininos – estrogênio e progesterona – que antecedem o período menstrual. “É uma condição que, geralmente, dá seus primeiros sinais uma semana a dez dias antes do ciclo, e seus sintomas começam a aliviar quando a mulher fica menstruada”, afirma Airton Ribeiro.  “A TPM dura em média uma semana, mas, em alguns casos, pode durar até 15 dias, o que impacta bastante na qualidade de vida da paciente”, destaca o médico.

Os sintomas da TPM afetam o dia a dia da mulher e podem comprometer seu desempenho profissional,  relacionamentos e qualidade de vida. A mulher que sofre de Tensão Pré-Menstrual deve buscar ajuda do ginecologista para tentar melhorar essa condição. O tratamento será sempre individualizado, pois cada paciente apresenta um quadro e sintomas diferentes. “Em alguns casos, o uso de anticoncepcionais para estabilizar os níveis hormonais pode ser um importante aliado para controle da TPM. O tratamento também pode ser feito com ansiolíticos, diuréticos e até antidepressivos. As indicações vão depender dos sintomas”, finaliza o diretor da CAM.

De acordo com o especialista, a adoção de hábitos saudáveis pode ajudar a reduzir, significativamente, os sintomas da TPM.  “Ter uma alimentação equilibrada, praticar atividade física regular, evitar o consumo excessivo de bebidas alcoólicas e reduzir o consumo de açúcar e sal são hábitos que ajudam a controlar ou diminuir os desconfortos da Tensão Pré-Menstrual”, conta. “Não consumir bebidas estimulantes, como cafeína, chá preto e refrigerantes à base de cola também é importante para prevenção”, acrescenta. Além disso, o médico ainda lembra que a prática de atividades que ajudam a controlar o estresse e aumentam o bem-estar, como terapias, ioga e meditação, também podem fazer a diferença.

Siga o Acorda Cidade no Google Notícias e receba os principais destaques do dia. Participe também dos nossos grupos no WhatsApp e Telegram

Compartilhe essa notícia

Categorias

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Mais Notícias

image

Rádio acorda cidade