Saques elevados provocaram a crise no Subaé Brasil

A notícia de que um associado teria retirado R$ 4 milhões do banco provocouo temor de muitos associados, que fizeram vários saques.

15/09/2009 12h23, Por Dilton e Feito

image image image image image

Compartilhe essa notícia

image image image image image

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

A quantidade de saques acima da capacidade de liquidez do Banco Subaé Brasil provocou a crise no estabelecimento financeiro. A notícia de que um associado teria retirado R$ 4 milhões do banco, quantia acima da média estipulada pelo Banco Central, provocou o temor de muitos associados, que imediatamente fizeram saques.

As explicações foram dadas na manhã de hoje (15) pelo presidente do banco, Lourival Nunes, em  entrevista ao programa Acorda Cidade. Ele informou que  que o banco não fechou as portas, mas deixou de fazer depósitos e saques, até o momento. "À proporção em que retoirnarem os depósitos, a liquidez vai aumentado", disse.

Lourival esclareceu que a liquidez considera a facilidade com que um ativo pode ser convertido no meio de troca da economia, ou seja, é a facilidade com que ele pode ser convertido em dinheiro. Isso significa que sem depósitos, a crise não pode ser superada, porque não há movimentação em dinheiro. 

Sem revelar os nomes dos associados responsáveis pelos saques que acabaram detonando a crise, Lourival Nunes disse que o Subaé Brasil possui 3.200 cooperativados e mantém as suas unidades em várias cidades da região. A situação do banco será discutida em assembleia programada para o próximo dia 22. O objetivo é coletar sugestões visando a recuperação do estabelecimento.

Ouça a entrevista no PodCast

Compartilhe essa notícia

image image image image image image

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

Mais Notícias

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

image

Rádio acorda cidade