Sancionada lei que torna Hino ao 2 de Julho o oficial do estado da Bahia

O governador Jaques Wagner sancionou na manhã desta terça-feira (20), em frente à Governadoria, no Centro Administrativo da Bahia (CAB), o Hino ao 2 de Julho é o hino oficial da Bahia.

20/04/2010 às 16h56, Por Dilton e Feito

Compartilhe essa notícia

Baixe Hino 2 de Julho

A partir desta terça-feira (20), o Hino ao 2 de Julho é o hino oficial da Bahia. É que o governador Jaques Wagner sancionou na manhã desta terça-feira (20), em frente à Governadoria, no Centro Administrativo da Bahia (CAB). Além da lei que institui o Hino ao 2 de Julho como o hino oficial do estado, foi também sancionada a que cria a Ordem Dois de Julho Libertadores da Bahia, que será conferida, nos seus diversos graus, a personalidades que tenham contribuído para a garantia das liberdades públicas e a afirmação da soberania nacional. A composição e o funcionamento do Conselho da Ordem Dois de Julho serão definidos por regulamento.

Na oportunidade, Wagner falou da sua primeira participação no 2 de Julho, um ano depois de sua chegada à Bahia, em 1974, e contou um pouco da história e da importância da data para as crianças e os adolescentes. “Fomos nós que consolidamos a unidade nacional. Apesar do Grito do Ipiranga ser comemorado em 7 de setembro, a independência do Brasil se deu aqui, pois foi nesse território que foram derrotadas as tropas fiéis à Coroa Portuguesa”, explicou.

Ele disse que a Câmara de Vereadores de Cachoeira, em 25 de junho de 1822, já aderia ao movimento da independência brasileira.

“Não podíamos fazer melhor homenagem, além da que a gente vem fazendo há dois anos, transferindo a capital da Bahia, em 25 de junho, para Cachoeira. A letra desse hino é a que mais expressa o espírito do povo baiano e brasileiro, encarnado na figura de Castro Alves, Ruy Barbosa, Joana Angélica, Maria Quitéria, quando diz que: “nossos corações não combinam com a arrogância, prepotência e despotismo”, destacou.

Regar a semente da democracia

Segundo o governador, a maioria da população não conhece o hino do Brasil. “Se não cultuarmos essa nossa paixão pela liberdade, independência, a gente não consolida a democracia. Esse período que vivemos, contando do colégio eleitoral, em 1985, é o mais longo do regime democrático no Brasil. São 25 anos contínuos que estamos nesse regime. Precisamos regar muito a semente da democracia”, declarou. Para o secretário da Educação, Osvaldo Barreto, a oficialização do hino é fundamental para disseminar a importância da data na formação da cidadania baiana e brasileira, que teve o envolvimento de segmentos populares. As informações são da Agecom.

Compartilhe essa notícia

Categorias

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Mais Notícias

image

Rádio acorda cidade