Ucrânia

Representação Ucraniana Brasileira realiza campanha de ajuda humanitária para a Ucrânia; saiba como doar

A comunidade pode contribuir com a campanha de ajuda humanitária à Ucrânia através de doações em dinheiro feitas através do PIX da entidade.

04/03/2022 07h18, Por Gabriel Gonçalves

image image image image image

Compartilhe essa notícia

image image image image image

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

Laiane Cruz

O presidente da Representação Central Ucraniana Brasileira, Vitorio Sorotiuk, convocou na última quarta-feira (2), toda a população baiana a colaborar com a ajuda humanitária que está sendo enviada para os ucranianos assolados pela guerra iniciada pela Rússia na última semana e também para aqueles que virão para o país como exilados.

Em entrevista ao Acorda Cidade, Vitorio Sorotiuk informou que a representação agrupa as entidades civis e religiosas, as quais contabilizam mais 600 mil brasileiros descendentes de ucranianos vivendo no Brasil.

“A Representação Central Ucraniano Brasileira é responsável por diversas ligações entre a Ucrânia e o Brasil, entre eles, a criação da Carteira de Ucraniano no Exterior, documento que reconhece os descendentes de ucranianos como cidadãos da Ucrânia. Além disso, cabe a RCUB se certificar da plena execução de projetos ligados à comunidade e incentivar melhorias nas cidades com presença ucraniana. Ela realiza a cada três anos a sua assembleia geral e escolhe a sua diretoria, e na base ela tem inúmeras entidades isso entidades civis e religiosas, então por exemplo, o arcebispo, o bispo Greco católico, que têm rito bizantino, eles tem aproximadamente 260 comunidades na base. Aí temos a Igreja Ortodoxa com 18 paróquias na base, temos sociedades antigas, como a centenária sociedade ucraniana do Brasil, temos as sociedades de São Paulo, São Caetano, no Rio Grande do Sul, Santa Catarina, Paraná, União da Vitória. Então ela é uma organização superior representativa para tratar de assuntos da Comunidade, e em um momento como esse, a entidade que coordena hoje ajuda humanitária na Ucrânia”, explicou o representante ucraniano.

De acordo com ele, a situação atual é de descontrole, por causa da guerra, e de toda a movimentação de saída, mas também de entrada de ucranianos no país do leste europeu.

“Pelos cálculos são 800 mil pessoas saindo da Ucrânia, mas você tem outro tanto de ucranianos que trabalhavam na Europa, como na França, na Alemanha e na Espanha que estão voltando para lutar, principalmente os homens. Então está em movimento grande, que você não tem controle. A embaixada do Brasil estava localizada em Kiev e mudou a sua administração para uma cidade que fica no oeste da Ucrânia, mais próxima da fronteira com a Polônia. E nós temos aqui no brasil, de descendentes, já com 130 anos da nossa imigração no Brasil, nós calculamos, aproximadamente, 600 mil descendentes de Ucranianos, e nós temos uma parte da etnia Judaica que também veio para o Brasil, a exemplo da escritora Clarice Lispector, que nasceu na Ucrânia é hoje considerada uma das maiores escritoras da língua portuguesa brasileira”, destacou.

Sob intenso bombardeiro em diversas partes do país pelas tropas russas, a Ucrânia possui atualmente 44 milhões de habitantes, segundo Vitorio Sorotiuk, sendo que 8 milhões são russos.

“Esses 8 milhões são da etnia Russa que estão dentro da Ucrânia, e eles estão lutando com os Ucranianos contra o exército de Putin. Dentro da Rússia, em 54 cidades, ocorreram manifestações na última semana. Tem mais de 5 mil presos dentro da Rússia por protestos contra a guerra, 600 dos mais renomados cientistas russos escreveram um manifesto contra, então nós temos certeza que a Ucrânia neste momento tem o apoio dos Ucranianos e do povo Russo. Ela só está sofrendo agressão de Putin e sua elite, e a Ucrânia conseguiu o apoio mundial. Ontem, na Europa, o presidente Zalensky, da Ucrânia, foi aplaudido de pé na ONU. O ministro das relações exteriores da Rússia, quando foi falar, mais de 100 países viraram as costas e se retiraram. O mundo diz não à guerra, o mundo diz sim à paz. Essa é a realidade que vivemos atualmente no planeta”, ressaltou.

O representante ucraniano disse ainda que neste momento não é possível calcular quantos brasileiros estão na Ucrânia. Mas a representação está fazendo contatos políticos, emitindo notas de esclarecimento sobre a Ucrânia e a realidade da guerra.

“Estamos lançando um movimento nacional humanitário de apoio à Ucrânia. Nós já estamos com apoio de governos de estados do Brasil, como o governo de São Paulo, Santa Catarina, e Paraná. Hoje conversei com a assembleia legislativa do estado do Paraná, temos um grupo de senadores e deputados federais no apoio, assim como uma série de municípios e estão aparecendo instituições de todo lado, universidades querendo apoiar, aceitando estudantes para estudarem aqui no brasil, assim como estão aderindo ao nosso movimento de apoio humanitário à Ucrânia. Instituições de todos os crédulos religiosos, ortodoxos, católicos, greco católicos, bispos evangélicos do estado do paraná, lojas maçônicas, associações de escoteiros de tudo que você imagina, então há uma maré humana de solidariedade. A conta para doação cai na representação da comunidade e ela é gerenciada junto com a embaixada da Ucrânia no Brasil”, informou Sorotiuk.

Foto: Divulgação

A comunidade pode contribuir com a campanha de ajuda humanitária à Ucrânia através de doações em dinheiro feitas através do PIX da entidade, cuja chave é o CNPJ 78.774.668.0001-83, ou através de transferências e depósitos na conta bancária 00010493-0/ Banco 104/ Agência 1628/ Operação 013.

Todos os valores depositados devem ter centavos. Assim, uma doação de R$ 100 deve ser R$ 100,01, para que os valores sejam destinados à campanha.

 

Com informações da jornalista Maylla Nunes do Acorda Cidade 

Compartilhe essa notícia

image image image image image image

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Captcha

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

Mais Notícias

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

image

Rádio acorda cidade