Feira de Santana

Realização da Micareta de Feira em setembro divide opiniões entre foliões e empresários

Expectativa é que a festa seja realizada em setembro este ano.

25/04/2022 13h56, Por Laiane Cruz

image image image image image

Compartilhe essa notícia

image image image image image

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

Laiane Cruz

A Micareta de Feira de Santana tradicionalmente é realizada no mês de abril com grandes atrações locais e nacionais. Por conta da pandemia da Covid-19, a festa não pôde ser organizada nos últimos dois anos. Este ano, a intenção da prefeitura, após sugestão de empresários do ramo do entretenimento, é realizar a festa no mês de setembro. No entanto, o anúncio tem dividido a opinião de foliões e pessoas que comercializam alimentos e bebidas durante o evento.

Foto: Ed Santos/ Acorda Cidade

Para a foliã Ediane da Silva Moreira, 36 anos, que sempre participou da Micareta, desde os 11 anos de idade, o mês de setembro por ter temperaturas mais altas parece ser uma boa opção para realização da festa.

“Eu acho que não vai ficar ruim porque abril é um mês chuvoso e setembro por ser mais quente, os ambulantes vão ter mais vendas e o tempo estará melhor. Vai ser logo após as festas juninas, onde a gente já gastou um pouco, mas o importante é estar com saúde e se divertir. Com fé em Deus, estarei lá atrás do trio elétrico”, afirmou, em entrevista ao Acorda Cidade.

Foto: Ed Santos/ Acorda Cidade

Já a foliã Aline Barreto, que há 9 anos curte a festa como pipoca, a Micareta em setembro pode não ter tanta participação, por estar próximo do final do ano, em que muitas pessoas viajam.

“Não gostei, eu acho que é perto do final do ano e não vai ter esse movimento todo. As pessoas querem viajar e fazem planos para final de ano. Para mim seria mais viável colocar a Micareta para o ano que vem mesmo em abril”, opinou.

A comerciante Ana Angélica do Carmo Bastos há 20 anos trabalha da Micareta, com um barracão montado no circuito da festa, onde comercializa bebidas, cachorro-quente, acarajé, entre outros alimentos bem procurados pelos participantes do evento.

Ela contou que cinco ou seis pessoas a auxiliam nos eventos, mas desde que começou a pandemia, todos estão parados. “Isso trouxe muito prejuízo, estou parada esse tempo todo e agora estou pedido a Deus para voltar à atividade, porque chega de ficar parada dentro de casa”, declarou.

Foto: Ed Santos/ Acorda Cidade

Apesar da situação econômica um pouco complicada, a comerciante acredita que a Micareta não deveria ser mais realizada este ano, e sim em abril do ano que vem, período tradicional da festa.

“A minha opinião é que eu não concordo com a Micareta no mês de setembro. A gente esperou até hoje, pode esperar até o próximo ano, em vez de fazerem em setembro, que façam um São João no Parque de Exposição, que façam a Expofeira, que também é muito movimentada. É a mesma festa, só muda que é trio e lá é palco, mas é uma festa. Agora, Micareta no mês de setembro não tem nada a ver”, opinou.

Ana Angélica acredita que a Micareta em setembro trará mais prejuízo que lucros, sobretudo aos comerciantes, que fazem um investimento alto em mercadorias.

“Eu acho que é um prejuízo, porque fora de época é ilusão, não ganha, é só ilusão. Mas se querem tentar, fazer o que? Agora, se o prefeito tiver noção, ele coloca a Expofeira, inventa um outro evento e deixa a Micareta no próximo ano com a data certa.”

Ela informou ainda que com o retorno dos eventos este ano, já tem uma programação de festas em outras cidades e até outros estados para viajar com a equipe e montar sua barraca.

“Eu trabalho tanto em Feira de Santana, quanto em outras cidades e outros estados, como no Ceará, Rio Grande do Norte, Pernambuco e vou seguindo as festas. Já tenho a programação feita. Que eu estou sem seguir essa programação, mas esse ano há de ter. Agora depois do São João, estou indo para o Ceará para a Expocrato. Depois, se tiver Expofeira, estarei aqui na Exposição de Feira de Santana. Se não tiver, eu irei para a Festa do Boi, que é no Rio Grande do Norte, e depois irei para a Exposição de Recife.”

A comerciante argumentou ainda que a Micareta sendo realizada em abril do ano que vem, dará tempo para os empresários que organizam a festa se prepararem.

“Assim vai dar tempo se arrumar, os blocos fazerem seus abadás para vender, tudo isso. Porque agora em setembro, está em cima. A gente está praticamente em maio. Eu creio que não vai ter tempo. Mas vamos ver. Eu quero pedir ao prefeito que faça a Expofeira, que é o certo, tem parque de diversão, festa para todo o tipo de família”, reforçou.

Para o empresário DJ Agenor, o mês de setembro é uma boa sugestão de data para a Micareta. De acordo com ele, o importante neste momento é todos se unirem para fortalecerem a festa.

“Eu nasci durante a Micareta, em um dia de 27 de abril. O primeiro camarote que se tem história, de pessoas que construíram um camarote, foi meu pai e alguns amigos que fizeram. O chamado Camarote Astral, depois minha família fez o Camarote Studio 22, então eu tenho uma história com as micaretas. Como DJ, fiz uma história também e toquei muitos anos na Micareta, e me reuni com um grupo de amigos, para colocar o Camarote de DJ Agenor. Começou como uma coisa de amigos, e foram 15 anos, sendo que o último ano eu não participei. A questão de ser em abril ou em setembro, eu acho que é uma coisa que tem que ser pensada. Mas setembro, eu acho um período bacana, e acho que todo mundo tem que se unir para fortalecer o evento, e não ficar pensando só em si, no seu produto. A gente tem que pensar coletivamente para conseguir reacender a maior Micareta do Brasil e a maior festa do interior da Bahia”, afirmou.

Foto: Arquivo Pessoal

Já o empresário Erivaldo Cruz avalia que o mês de realização da festa para o setor de entretenimento é algo que não fará diferença. Segundo ele, o evento já não é mais economicamente rentável, porém é uma festa do povo, realizada pelo poder público, e ele irá participar.

“Sempre participei dessa festa, há 25 anos, com Bloco Armação, Bloco Auê, o Camarote da Central também. Essa festa se tornou bastante popular, sempre fizemos em abril e estávamos juntos. Essa data da Micareta já tem mais de 60 anos, mas aí veio a pandemia, ficamos esse tempo sem fazer e agora com tudo liberado, não tivemos como fazer mais em abril, e veio a sugestão para setembro. Eu não tenho muita opinião formada sobre isso, porque a Micareta, para nós que somos empresários, não vejo mais como uma festa comercialmente interessante, para nossa área de entretenimento. Portanto, não tem diferença para a gente fazer em abril, em setembro, ou qualquer outra data que seja definido, desde que seja definida em comum acordo com a população, a prefeitura, e acredito que eles vão amadurecer isso. É uma festa do povo, feita pelo poder público, e quem tem que definir isso é o público. Vamos participar da festa, sou micareteiro há mais de 25 anos, e sempre participo da festa de alguma forma”, opinou.
 

Com informações do repórter Ed Santos e da jornalista Maylla Nunes do Acorda Cidade.

Siga o Acorda Cidade no Google Notícias e receba os principais destaques do dia

Compartilhe essa notícia

image image image image image image

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Captcha

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

Mais Notícias

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

image

Rádio acorda cidade