Artigo

Protetora dos olhos

Santa Luzia brilha como uma autêntica luz para nossa vida

08/12/2021 12h08, Por Kaio Vinícius

image image image image image

Compartilhe essa notícia

image image image image image

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

Os calendários registram, para o dia 13 de dezembro, a festa de Santa Luzia, padroeira dos deficientes visuais e protetora dos olhos. Essa devoção é muito antiga. Nasceu nos primeiros séculos do cristianismo e difundiu-se, rapidamente, no mundo inteiro, permanecendo até hoje. A santa é um exemplo de mulher corajosa e de muita fé.

LUZIA, cujo nome vem de luz, era uma jovem bonita e pertencia a uma família rica de Siracusa, Itália. Recebeu formação cristã. Quando perdeu o pai, a mãe queria que ela casasse com um jovem pagão, mas ela não aceitou. O jovem, por sua vez, resolveu vingar-se, denunciando-a às autoridades, como pessoa cristã. Foi presa e arrancaram-lhe os olhos. No dia seguinte, estava com eles, mais bonitos e perfeitos. Foi martirizada no dia 13 de dezembro de 303. Seus restos mortais estão em Veneza-Itália.

O EXEMPLO de Santa Luzia brilha como uma autêntica luz para nossa vida. É um farol na vida das famílias e comunidades que buscam vencer as trevas da violência, do ódio, da intolerância e da perseguição aos valores cristãos. Santa Luzia resistiu a todas as forças do mal e manteve-se sempre fiel à verdade, porque queria seguir Jesus Cristo, aceitando todos os sofrimentos, até mesmo o martírio.

NA FESTA de Santa Luzia celebramos o Dia do Cego. A visão é considerada o mais belo dos sentidos. Poder ver e encantar-se com as maravilhas do universo, é sentir a beleza da obra divina do Criador. O dom precioso da vista é, na verdade, uma graça extraordinária. Ninguém se tornou cego ou deficiente visual por opção. Há quem nasce cego, quem se torna cego e também, muitos outros, são deficientes visuais.

A FORÇA de vontade desses deficientes visuais serve de verdadeira lição de vida para nós. Basta vê-los andando na rua, subindo e descendo dos ônibus e trabalhando para sobreviver. Querem ser úteis à sociedade, mesmo enfrentando necessidades especiais. Por isso, desejamos que o Dia do Cego, ajude a mobilizar famílias e instituições para que assumam atitudes mais solidárias com os portadores de deficiências visuais.

Ó SANTA Luzia, que preferistes deixar que vossos olhos fossem arrancados antes de negar a fé, e Deus, com um milagre extraordinário, vos devolveu outros dois, mais perfeitos, e vos constituiu protetora contra as doenças dos olhos, venho pedir que protejais minhas vistas e cureis as cegueiras físicas e espirituais. Ó Santa Luzia, protegei meus olhos e conservai minha fé. Amém.

Dom Itamar Vian
Arcebispo Emérito
[email protected]
  

Compartilhe essa notícia

image image image image image image

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Captcha

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

Mais Notícias

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

image

Rádio acorda cidade