Educação

Projeto de Extensão da UFRB promove inclusão social através da Libras

Devido à suspensão das atividades presenciais por conta da pandemia do novo coronavírus, os cursos são ministrados no formato online.

23/08/2021 17h16, Por Laiane Cruz

image image image image image

Compartilhe essa notícia

image image image image image

PUBLICIDADE

Acorda Cidade

A Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (UFRB) desenvolve cursos de formação em Língua Brasileira de Sinais (Libras) nos níveis básico e intermediário para ouvintes e Língua Portuguesa para surdos, por meio do Projeto de Extensão “Librando”, no Campus Feira de Santana, destinado aos estudantes, professores e técnicos da UFRB, familiares de surdos, surdos e a comunidade externa interessada.

Os benefícios que os cursos trarão, ao seu final, para os envolvidos, são interação com as pessoas surdas que fazem parte da Associação de Surdos de Feira de Santana, a capacitação dos estudantes surdos da UFRB, conhecimento de Libras e da particularidade em sua aprendizagem da Língua Portuguesa na modalidade escrita; além de fomentar a valorização e disseminação da Libras e da pessoa surda, informou a coordenadora, professora doutora Sátila Souza Ribeiro.

Devido à suspensão das atividades presenciais por conta da pandemia do novo coronavírus, os cursos são ministrados no formato online, através da plataforma Google Meet, em uma perspectiva dialógica e instrumental para que ao final do projeto, nas referidas etapas, os cursistas ouvintes tenham o conhecimento de Libras, se comunicando com os surdois de forma eficaz; e os cursistas surdos tenham o conhecimento da Língua Portuguesa escrita, aumentando vocabulários para o desenvolvimento da leitura e escrita, a partir de textos.

A cada semana são realizadas uma aula de Libras e outra aula de Língua Portuguesa, com duração de duas horas, cada. Ao final de cada curso “Libras para ouvintes” e “Língua Portuguesa escrita para surdos”, os participantes passarão por uma avaliação prática em Libras e em Língua Portuguesa, para, então, receberem a certificação de 80 horas.

O processo formativo em Libras para ouvintes e Língua Portuguesa para surdos, se iniciou em 20 de abril passado com conclusão prevista para 20 de abril de 2023, quando alunos farão uma avaliação crítica dos cursos e se discutirá os pontos positivos e negativos do projeto como um todo.

Sátila Ribeiro explica que o Projeto Librando “se propõe a aprendizagem em Língua Portuguesa para Surdos como segunda língua, buscando refletir sobre leitura, interpretação e produção de textos pelos Surdos, haja vista a pessoa surda possuir particularidades em sua aprendizagem na modalidade escrita da Língua Portuguesa”.

O projeto conta com o apoio do estudante de Engenharia de Tecnologia Assistiva e Acessibilidade da UFRB e monitor do Programa Institucional de Bolsas de Extensão (PIBEX) Victor Emanuel e de monitores voluntários da UFRB, Luémeri Paim e Vinícius Marques, com a colaboração dos professores especialistas Ismália Nasser (UFRB) e Kamyllo Alves (UFSC).

A realização do projeto é focado em dois níveis (básico e intermediário) do curso de Libras; e Língua Portuguesa na modalidade escrita para surdos, totalizando três cursos. Para cada curso é oferecida uma turma de no máximo 25 cursistas em horário definido considerando as possibilidades e adequação dos interessados.

A mesma turma cursará os dois níveis – uma etapa de curso complementará a etapa seguinte. Ao final de cada curso será criado um espaço para socialização da aprendizagem, em Libras e Língua Portuguesa escrita, com a presença de surdos fluentes em Libras, além de uma filmagem que será feita em Libras por cada cursista e entregue ao ministrante do curso para a avaliação final.

Presença crescente

A presença de estudantes surdos na Educação Superior vem aumentando de acordo com os dados do Ministério da Educação (MEC). Segundo o Censo de Educação Superior (2016), das 14.558 matrículas desse público específico, 1.738 eram de pessoas surdas. Esses dados, por si só, justificam a realização de pesquisas voltadas para o aprendizado da Libras, considerando a inclusão de pessoas surdas (usuárias da Libras) nos diferentes setores da sociedade, em especial na Educação Superior.

A aprendizagem de Libras vem sendo reconhecida como caminho necessário para uma efetiva mudança nas condições oferecidas pelas universidades, por ser uma língua viva e reconhecida a partir da Lei Federal 10.436/2002, como meio legal de comunicação e expressão da comunidade surda.

No âmbito da UFRB, a Resolução do Conselho Acadêmico (CONAC nº 14/2009), dispõe sobre a inserção da Língua Brasileira de Sinais (LIBRAS) como componente curricular obrigatório para os cursos de graduação em nível de Licenciatura e optativo para os cursos de Bacharelado e Superiores de Tecnologia da UFRB.

Outra Resolução (CONAC nº 040/2013) elenca ações que deverão ser garantidas pela instituição, como capacitação de pessoal docente e técnico em Libras, serviço de apoio específico (adaptação de materiais), entre outros.

Conheça o projeto: https://www.youtube.com/watch?v=XCj7gq0v7z4&feature=emb_title

Veja o depoimento de um aluno: https://www.youtube.com/watch?v=ERcgE1y4kJI&feature=emb_title

Conheça o Instagram do projeto: instagram.com/librando_ufrb.

Compartilhe essa notícia

image image image image image image

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

Mais Notícias

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

image

Rádio acorda cidade