Política

Equipe de transição propõe excluir R$ 175 bilhões do teto de gastos

Medida pretende viabilizar Bolsa Família em R$ 600

16/11/2022 às 22h43, Por Acorda Cidade

Compartilhe essa notícia


Agência Brasil – A equipe de transição do novo governo apresentou nesta quarta-feira (16), ao Congresso Nacional, a proposta de excluir R$ 175 bilhões da regra do teto de gastos para o orçamento do ano que vem, como forma de viabilizar a manutenção do valor mínimo de R$ 600 para o programa Bolsa Família, atual Auxílio Brasil, além de instituir um valor adicional de R$ 150 por criança menor de 6 anos de cada beneficiário.

A medida é um dos compromissos de campanha do presidente eleito Luiz Inácio Lula da Silva (PT). A minuta da proposta de emenda constitucional (PEC) foi entregue pessoalmente pelo vice-presidente eleito e coordenador-geral da equipe de transição, Geraldo Alckmin.

Pela proposta, o valor excluído da regra que limita o crescimento das despesas públicas seria usado para financiar integralmente o Bolsa Família, com o programa ficando fora do teto em caráter permanente. Com isso, outros R$ 105 bilhões seriam liberados do orçamento do ano que vem para serem usados na recomposição de recursos para programas como o Farmácia Popular e o aumento real do salário mínimo, outras das promessas do novo governo durante as eleições.

“Há, por parte do governo eleito, e também do governo que deixará o comando do Brasil no próximo dia 31 de dezembro, o desejo de proteger as famílias, proteger os pobres do Brasil com um auxílio de R$ 600 e um acréscimo de R$ 150 por criança para cada família”, afirmou o senador Davi Alcolumbre (União-AP), presidente da Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) do Senado Federal.

Segundo o senador Marcelo Castro (MDB-PI), que é relator do orçamento no Congresso Nacional, o que a equipe de transição apresentou foi uma proposta, que ainda precisará ser negociada com líderes partidários para ter viabilidade de aprovação.

“A equipe de transição nos trouxe uma proposta, uma sugestão de PEC. Mas eu quero que todos tenham a compreensão de que essa PEC será proposta pelo Senado. Vamos pegar essas sugestões que a equipe de transição nos trouxe, vamos negociar internamente com as lideranças aqui do Senado, até chegarmos a um entendimento, uma concertação de qual seria o texto ideal. O ideal aqui é o possível e aquilo que tem a maior probabilidade de ser aprovado. Então, só nesse momento nós começaremos a recolher as assinaturas”, explicou. Por ser uma alteração constitucional, a PEC, quando for apresentada, precisa ter um mínimo de 27 assinaturas de senadores para começar a tramitar na Casa.

Castro informou que ele próprio vai apresentar a PEC formalmente no Senado e o objetivo é aprovar a medida até o fim de novembro, para que possa depois tramitar na Câmara dos Deputados. Ela precisa ser aprovada até o fim deste ano e exige um quórum qualificado de três quintos tanto na Câmara quanto no Senado, com votação em dois turnos.

Outras mudanças
Além de excluir o programa Bolsa Família de forma permanente da regra de teto de gastos, a minuta trazida pela equipe de transição propõe usar receitas obtidas com excesso de arrecadação para investimentos públicos, limitado a cerca de R$ 22 bilhões. Pela regra vigente no teto de gastos, qualquer excesso de arrecadação deve ser obrigatoriamente usado para abatimento da dívida pública. Instituída em 2016, a emenda constitucional do teto de gastos limita o aumento do orçamento público ao crescimento da inflação do ano anterior.

“Um dos itens da PEC é que nós poderíamos aproveitar esse excesso de arrecadação, baseado em 6,5% de 2021, que daria um valor aproximado de R$ 22 bilhões, R$ 23 bilhões. Mesmo que a arrecadação fosse extraordinária de R$ 100 bilhões, R$ 200 bilhões, não poderia aplicar em investimento mais do que R$ 22 bilhões”, detalhou Marcelo Castro.

O terceiro item da proposta da PEC é excluir da regra do teto de gastos recursos extras obtidos por meio de convênios e serviços prestados pelas universidades públicas, além de doação feita por fundos internacionais. Assim, essas instituições não teriam esses recursos abatidos pela regra do teto de gastos.

“A equipe de transição está sugerindo que nós apresentemos a PEC excepcionalizando do teto de gastos essas receitas próprias que são das universidades, de fundos internacionais que possam fazer doações ao Brasil na área socioambiental. Acho que isso é um consenso que não tem sentido uma universidade prestar um serviço e não poder ser paga por isso”, explicou o senador.

Siga o Acorda Cidade no Google Notícias e receba os principais destaques do dia. Participe também dos nossos grupos no WhatsApp Telegram

Compartilhe essa notícia

Categorias

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Mais Notícias

José Ronaldo de Carvalho

Eleições 2024

"O diálogo vai vencer mais uma vez, não tenho inimigos na política", declara José Ronaldo durante lançamento de pré-candidatura

O evento foi realizado no auditório da Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL).

16/04/2024 às 22h33

José Ronaldo

Pré-candidatura

“Enquanto o outro candidato se cerca de influências externas, nossa campanha se constrói ao lado do público” alfineta José Ronaldo

José Ronaldo aproveitou ainda para enfatizar, em discurso, que o momento político não é renovação, mas uma oportunidade para se...

16/04/2024 às 19h04

Deputada Estadual

Eleições 2024

"Ele continua combativo e aguerrido" diz Lídice da Mata em relação a Zé Neto (PT)

A deputada reafirmou o apoio do PSB a candidatura de seu colega na Câmara Alta.

14/04/2024 às 17h38

Lançamento da Pré-Campanha

Eleições 2024

Zé Neto vai liderar as transformações que Feira precisa na parceria com Lula e Jerônimo, afirma deputado Robinson

Deputado federal petista teve sua pré-candidatura a prefeito oficializada em evento concorrido em Feira de Santana neste domingo.

14/04/2024 às 17h28

Fórum Brasileiro de Líderes em Energia

Brasil

“Um terço da energia eólica gerada pelo Brasil é produzida na Bahia”, destaca Jerônimo diante de executivos do setor energético

A Bahia é um dos estados líderes na geração de energia das fontes eólica e solar, com quase 10GW de...

12/04/2024 às 07h40

“O que engorda o boi é o olho do dono”, afirma Jerônimo Rodrigues

Política

“O que engorda o boi é o olho do dono”, afirma Jerônimo Rodrigues

Fala do governador ocorreu na última terça (9) durante o lançamento das ações do estado para a Micareta de Feira...

11/04/2024 às 15h37

image

Rádio acorda cidade