Polícia

Policiais Penais da Bahia poderão entrar em greve a partir da próxima quarta-feira (11)

De acordo com o presidente do Sindicato, a categoria já está em estado de greve.

09/08/2021 14h21, Por Laiane Cruz

image image image image image

Compartilhe essa notícia

image image image image image

PUBLICIDADE

Laiane Cruz

Os policiais penais do estado da Bahia poderão deflagrar greve por tempo indeterminado a partir da próxima quarta-feira (11), caso o governo do estado não atenda às reivindicações da categoria, negociadas há cerca de seis meses.

De acordo com o presidente do Sindicato dos Servidores da Polícia Penal do Estado da Bahia (Sinspeb), Reivon Pimentel, a categoria já está em estado de greve, e na próxima quarta-feira (11), uma nova assembleia será realizada em frente à Assembleia Legislativa da Bahia (Alba) para definir os rumos da mobilização.

“Essa greve só vai depender de um posicionamento do governo e da Secretaria de Administração Penitenciária (Seap), com relação à aprovação da PEC que criará a Polícia Penal do Estado da Bahia e depois a abertura de concurso público. Todos nós sabemos que uma greve é ruim para todos, então essa é a última etapa de enfrentamento, mas nós esperamos que o governo seja sensível à nossa pauta e não tenhamos que deflagrar essa greve, mas se tivermos que deflagrar, sairemos da quarta-feira com uma data marcada”, avisou o presidente do sindicato.

Ele explicou que a PEC 160 de 2020 está parada na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ), aguardando designação de relator e não há avanço. “Desde o início desse processo a gente vem avisando não só ao secretário Nestor Duarte, mas ao governador Rui Costa e todos os órgãos envolvidos na execução penal. Eles estão cientes das nossas demandas, porém ainda não fomos convocados para audiências. Isso mostra o desinteresse do estado em atender as pautas dos policiais penais baianos. Nós não estamos lutando por questões financeiras, mas sim por condições de trabalho e legitimidade”, destacou.

Reivon Pimentel destacou ainda que a Bahia e a Paraíba são hoje os dois estados do Nordeste que ainda não aprovaram a PEC, inserindo a Polícia Penal em suas constituições. No Brasil, com a Bahia, são 9 estados que ainda não aprovaram essa PEC. “E é necessário que seja aprovada, por uma questão de simetria. É obrigação do estado aprovar, porque na Constituição Federal não pode estar escrito uma coisa e na estadual não. O governo federal já colocou em sua constituição o policial penal, e a Bahia até hoje não adequou a sua constituição estadual”, afirmou.

Com informações do repórter Aldo Matos do Acorda Cidade

Compartilhe essa notícia

image image image image image image

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

Mais Notícias

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

image

Rádio acorda cidade