Segurança Pública

Segurança pública vai além da presença policial nas ruas; comandante do CPR-L defende esforço conjunto

Comandante destaca que é necessário um esforço conjunto de todos os níveis de governo e da sociedade para enfrentar os desafios da violência.

24/05/2024 às 06h15, Por Andrea Trindade

Compartilhe essa notícia

Base Móvel da PM
Foto: Ed Santos/ Acorda Cidade

A segurança pública não se limita à presença policial nas ruas; envolve uma rede complexa de fatores como educação, saúde, cidadania, justiça, sistema prisional, prevenção às drogas, emprego, renda, qualidade de vida e infraestrutura urbana. Para o coronel Antônio Lopes, comandante do Comando de Policiamento Regional Leste (CPR-L), todos esses elementos impactam diretamente na violência e precisam funcionar da forma ideal.

Ele chamou de visão limitada o hábito de lançar toda a responsabilidade apenas nas polícias Militar e Civil, ignorando que a segurança pública também inclui as polícias Federal e Rodoviária Federal, além das guardas municipais, políticas públicas e diversos setores da sociedade.

“O erro de longos anos de todos os entes governamentais, Federal, Estadual e Municipal, foi jogar a responsabilidade pela prevenção e combate à violência apenas para as polícias estaduais. O governo federal e as prefeituras precisam assumir essa responsabilidade com o Governo do Estado. É importante ressaltar que a segurança pública não é uma responsabilidade exclusiva das forças policiais. Ela envolve a participação de toda a sociedade, por meio da promoção da cidadania, do respeito às leis e da cultura de paz. O combate à violência e à criminalidade é um desafio que deve ser enfrentado em conjunto, com ações coordenadas entre os diferentes níveis e poderes do Estado”, disse.

Coronel Antônio Lopes
Foto: Ed Santos/ Acorda Cidade

O coronel destacou que é necessário um esforço conjunto de todos os níveis de governo e da sociedade para enfrentar os desafios da violência.

“A Prefeitura exerce seu papel em prol da segurança pública? Como estão os investimentos em medidas de prevenção, como educação de qualidade, acesso a serviços de saúde e justiça, políticas sociais e de inclusão, geração de emprego e renda, infraestrutura, além de programas de prevenção ao uso de drogas? Que o diga em torno da Rodoviária de Feira, uma lástima, uma vergonha”, declarou o militar em entrevista ao portal Acorda Cidade.

O comandante do CPR-L também criticou a abordagem dos poderes Legislativo e Judiciário. Na opinião dele, as leis e inúmeras decisões beneficiam criminosos, criando uma sensação de impunidade e fortalecendo a violência. Ele defendeu uma visão mais coerente e equilibrada, priorizando a segurança da população e a punição dos infratores.

“A Constituição Federal, ART. 144, diz que segurança pública é dever do Estado. Mas a abordagem aqui não é e nem deve ser de política partidária. O Estado é a representação do conjunto formado pelo: povo (Sociedade), governo (União, Estados e Municípios) e território, ou seja, dentro do Território Nacional, Sociedade e Governos, juntos, para o estabelecimento da Paz Pública. Não podemos esquecer os Poderes: Legislativo e Judiciário, que, com suas visões benevolentes, estão criando leis e decisões que beneficiam os criminosos, sempre buscando esvaziar as prisões, despejando todo tipo de criminosos nas ruas. Essa postura de benefício aos infratores das leis acaba gerando uma crescente sensação de impunidade e fortalecendo a violência. É necessário que haja uma visão mais coerente e equilibrada, priorizando a segurança da população e a punição dos infratores”, afirmou o coronel Lopes ao Acorda Cidade.

Por fim, o coronel reafirmou que a segurança pública é responsabilidade de toda a sociedade e requer um esforço conjunto para garantir um ambiente seguro e pacífico para todos.

Leia também: Familiares de garoto de 14 anos apontado como líder do tráfico não sabiam do envolvimento dele com o crime, diz delegada

Siga o Acorda Cidade no Google Notícias e receba os principais destaques do dia. Participe também dos nossos grupos no WhatsApp e Telegram

Compartilhe essa notícia

Categorias

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

  1. DEVERIA TER UMA DESSAS EM CADA BAIRRO . QUERO NOVAMENTE PEDIR RONDAS PELO PARQUE LAGOA DO SUBAÉ , VILA NOVA E SANTA MONICA 2 . NA RUA PALMEIRA BRANCA ESTÁ TENDO ASSALTOS CONTANTES .

  2. Aí é simplesmente blitz para aprender moto e carro de trabalhador dificilmente você vai aprender uma arma ou uma moto ou um carro roubado aí é só arrecadando para o estado

    1. Mas nesse caso quem está errado não é o estado , quem tem carro sabe que tem pagar o ipva . Eu não tenho logo estou tranquilo .

      1. Acho que o Gustavo quer que a pm faaça vista grossa para quem anda com ipva atrasado e sem habilitação, para focar as blitz na apreensão de carros e motos roubados [

  3. Bem pontuado coronel.
    Os congressistas não assumem seus papéis, por benevolência ou pra n desagradar bases da sociedade e deixam o vácuo,
    ai o judiciário que não recebeu um voto do povo se aproveita desse vácuo deixado e começa a legislar, com a desculpa de está apenas interpretando a CF,
    ai a desgraça ta formada
    “O poder não comporta vácuo”
    Ou se assume ou perde
    Os deputados perderam pra justiça 🤷🏽‍♂️

  4. Sim concordo, não se resume apenas na presença policial, mais no nível que chegamos e estamos, o volume policial é imprescindível para fazer frente ao crime organizado,tem que haver políticas públicas nas áreas sociais e também manter as instituições de segurança pública forte, e também a família cada vez mais deve atentar-se a vida dos jovens, colaborando nesse processo, onde há falhas tanto governamental, como também no âmbito familiar…

Mais Notícias

image

Rádio acorda cidade