Polícia

Líder de organização criminosa que cultivava maconha em Feira de Santana morre em confronto com a polícia

A operação identificou uma família que se reestruturou em Feira de Santana, após saída de Pernambuco, onde começou sua empreitada no plantio de cultivo ilícito de cannabis sativa.

21/02/2024 às 17h01, Por Acorda Cidade

Compartilhe essa notícia

Foto: Polícia Federal

Após a Polícia Federal, com o apoio do Gaeco/MP-BA, deflagrar, na manhã desta quarta-feira (21), a Operação Kariri, que investiga organização criminosa envolvida em tráfico de entorpecentes e lavagem de dinheiro, o líder do esquema, identificado como Rener Manoel Umbuzeiro morreu ao entrar em confronto com a polícia, ao reagir à abordagem no momento da prisão.

De acordo com informações obtidas pelo Acorda Cidade, a morte do homem ocorreu no município de Ibotirama, na Bahia, que fica a 540 km de Feira de Santana. Não há mais detalhes sobre o ocorrido.

Operação Kariri

Operação Kariri
Foto: Polícia Federal

A operação identificou uma família que se reestruturou em Feira de Santana, após saída de Pernambuco, onde começou sua empreitada no plantio e cultivo ilícito de cannabis sativa.

Foto: Polícia Federal

Todo lucro obtido pela organização criminosa era revertido em compra de bens imóveis de alto poder aquisitivo, beneficiando toda a família e seus parentes próximos que forneciam contas bancárias para tentar ocultar o rastreio do dinheiro pela Polícia Federal. Além disso, foram identificadas cinco fazendas pertencentes ao principal alvo da investigação que constam em nome de terceiros.

Operação Kariri
Foto: Polícia Federal

Saiba mais sobre a Operação deflagrada nesta quarta-feira (21) clicando aqui.

Siga o Acorda Cidade no Google Notícias e receba os principais destaques do dia. Participe também dos nossos grupos no WhatsApp e Telegram

Compartilhe essa notícia

Categorias

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

  1. Já que é ilegal, cada usuário é um incentivador do ilícito, que só existe por conta da continuidade do ciclo, produção e consumo. Quando há a elevação da criminalidade por conta das disputas, indiretamente é o usuário também responsável.
    A legalização, ao contrário do que se pensa, não acabará com a violência. Veja, que os cigarros são legalizados, no entanto, há o contrabando, também ocorrendo o mesmo com as bebidas alcoólicas, e agora, também com cigarros eletrônicos.
    O crime sempre estará presente, legalizando ou não. Melhor combater, sim.

    1. É ilegal porque o estado é racista … pq quando Brsnco for consumidor regular de maconha, o estado libera… nunca vi maconheiro agredir mulher. Provocar acidente de transito. Mas o álcool faz isso tudo.

      1. Pior que os brancos ja são usuarios. Mas ai nao pega nada. Sao usuarios de maconha, cocaina, opioides, mas o estado só ve a droga na mao do negro pobre. Ai é traficante. Quando é branco, ai é usuario, é jovem aprontando.

  2. Quem acha que o crime compensa está muito cego e entorpecido pelos ganhos materiais. Devemos cultivar uma vida simples, pacífica e colaborativa e não coisas que nos arruinem.

Mais Notícias

image

Rádio acorda cidade