Feira de Santana

Inquérito sobre morte de motociclista será concluído em até 30 dias, diz delegado

O motorista se apresentou no Complexo Policial na última sexta-feira (16).

20/12/2022 às 17h40, Por Gabriel Gonçalves

Compartilhe essa notícia

Foto: Ed Santos/Acorda Cidade

O condutor da van que atropelou e matou a motociclista Karine Cordeiro Silva, 33 anos, no último dia 10 de dezembro, se apresentou no Complexo de Delegacias do bairro Sobradinho na última sexta-feira (16), acompanhado de um advogado. (veja mais aqui)

Ao Acorda Cidade, o delegado titular da 2ª Delegacia Territorial (2ª DT), Alisson Carvalho, informou que o condutor admitiu que estava transportando passageiros sem ter Carteira Nacional de Habilitação (CNH) e ganhava em torno de R$ 100 por dia.

“Ele compareceu aqui na sede, na última sexta, e admitiu que estava conduzindo o veículo fazendo o transporte de passageiros. Ali no prolongamento da Avenida Getúlio Vargas, ao entrar para a Praça do Tropeiro, identificou que o veículo estava sem freio e seguiu direto. Ainda no intuito de tentar parar o carro, ele colidiu propositalmente contra as grades de proteção do canteiro central, mas viu que não tinha dado certo, continuou descendo e iria tentar dobrar a direita no sentido da Avenida de Canal, foi quando atingiu a motociclista. Ele disse que não tem CNH, explicou que o veículo não é dele e recebe R$ 100 por dia. Ainda iremos ouvir o proprietário da Van e outras testemunhas, e estamos no aguardo dos locais onde identificamos que tem câmeras”, informou.

Condutor da van envolvida em acidente
Foto: Ed Santos/Acorda Cidade

Segundo o delegado, somente após a conclusão do inquérito policial, poderá confirmar se o condutor será indiciado pelo acidente.

“Inicialmente, nós estamos trabalhando com autoria para o condutor do veículo, mas ainda estamos no meio da investigação. Não podemos dizer que o proprietário do veículo não será responsabilizado, mas eu sempre gosto de finalizar o inquérito policial, para dar uma resposta definitiva e não ter uma indução de algo e lá na frente ter outra conclusão. Nós temos 30 dias para concluir este inquérito e antes eu preciso opinar pelo indiciamento ou não indiciamento, mas claramente também, analisando a eventual responsabilidade do proprietário do veículo. Então após a conclusão, cabe ao Ministério Público oferecer ou não denúncia, de acordo com a opinião que tenha dos fatos que estão sendo apurados neste inquérito policial”, concluiu.

Com informações do repórter Aldo Matos do Acorda Cidade

Leia também:

Condutor de Van envolvida em acidente que matou motociclista não tem CNH, afirma advogado

Polícia identifica motorista de Van que atropelou mulher na Avenida de Canal

Cooperativa envolvida em acidente continua atuando em Feira sem fiscalização, alerta secretário

Van perde o controle na Avenida de Canal, atropela e mata condutora de uma Biz

Siga o Acorda Cidade no Google Notícias e receba os principais destaques do dia. Participe também dos nossos grupos no WhatsApp e Telegram

Compartilhe essa notícia

Categorias

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Mais Notícias

image

Rádio acorda cidade