Polícia

Comandante do CPR-L comenta registros de mortes violentas no final de semana e ações de policiamento ostensivo

O Coronel Antônio Lopes também aproveitou para falar sobre o trabalho da Polícia Militar no primeiro trimestres do ano no município.

01/04/2024 às 20h14, Por Maylla Nunes

Compartilhe essa notícia

Jovem de 23 anos é assassinado
Foto: Redes Sociais

O comandante do CPR-L, Coronel Antônio Lopes, comentou em entrevista ao Acorda Cidade, sobre as mortes violentas que ocorreram durante o último final de semana e que, apesar de o número de crimes ter sido menor do que o do ano passado, houve cinco homicídios na cidade.

Duas pessoas foram mortas no distrito de Ipuaçu, na última sexta-feira (29). No sábado, um jovem de 17 anos morreu na UPA da Queimadinha após ser baleado, e no domingo outras duas pessoas foram assassinadas.

Segundo o comandante do CPR-L, apesar do índice, houve a redução em comparação ao último ano.

Coronel Antônio Lopes
Foto: Ed Santos/ Acorda Cidade

“Os crimes seguem em investigação pela Polícia Civil, mas sabemos que entre sábado e domingo tivemos três CVLIs, um fim de semana prolongado onde as pessoas deixaram de ter o amor pela família, fizeram festas, então registramos esse número, mas se formos fazer uma comparação com o mesmo período do ano passado, houve uma redução”, disse.

O Coronel Antônio Lopes também aproveitou para falar sobre as ações da Polícia Militar no primeiro trimestre do ano no município. De acordo com ele, somente neste trimestre, 74 armas foram tiradas de circulação, e nos últimos três meses, 358 pessoas foram conduzidas à delegacia.

“Tiramos de circulação nestes primeiros meses 74 armas, no dia de hoje foram duas armas, então é um número grande de apreensões que não foi somente neste ano, desde 2023 quando os números de crimes começaram a cair. Esse é o nosso trabalho, preventivo e estamos fazendo. No primeiro trimestre nós conduzimos 358 pessoas à delegacia, 119 pessoas ao mês e 4 por dia, é um número alto e demonstra que estamos trabalhando, é o trabalho da Polícia Militar com o trabalho da Polícia Civil que está tendo uma grande integração, e não só a polícia, mas a população e a imprensa. Todos nós somos responsáveis pela segurança de Feira de Santana”.

Blitz

O trabalho da Polícia Militar, conforme o comandante, se resume à união de inteligências de diferentes órgãos de segurança. Porém, além deste apoio, é imprescindível a realização de blitz, trabalho de policiamento preventivo, evitando a entrada de armas e drogas na cidade.

O comandante finalizou ainda destacando a atuação da PM nas blitz e no combate ao crime.

“Fazemos rondas, blitz para ir em busca de criminosos. O intuito das nossas blitz é coibir o crime, as armas também entram na cidade. Muitas pessoas questionam sobre a questão dos documentos, mas alguns também andam com documentações atrasadas e nós notificamos porque fazemos o que manda a lei. Essa é uma cultura da blitz, em que as pessoas dizem que elas atrapalham, mas elas estão fazendo o trabalho delas, por ali passam drogas, armas. Feira de Santana não fabrica armas, então é necessário fazer essas abordagens. Feira de Santana tem diversas entradas, todas as polícias fazem blitz para coibir os produtos ilícitos de Feira de Santana”, concluiu.

Leia também:

Sobe para cinco o número de homicídios registrados no fim de semana prolongado de Semana Santa

Homem de 53 anos é encontrado morto às margens de represa no distrito de Ipuaçu

Jovem de 17 anos morre na UPA da Queimadinha após ser baleado

Jovem de 23 anos é morto a tiros no Conjunto Fraternidade em Feira de Santana

Com informações do repórter Ed Santos do Acorda Cidade

Siga o Acorda Cidade no Google Notícias e receba os principais destaques do dia. Participe também dos nossos grupos no WhatsApp e Telegram

Compartilhe essa notícia

Categorias

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

  1. queremos comandante acoes nos bairros q vcs sabem do grau d violencia como o condominio reserva do parque q moradores estao deixando suas casas com medo da violencia q e constante na area com varios tiroteios quase todos dias e como ligamos para a seguranca demora de xgar e como vem da uma volta de carro nem descem para averiguar e vao embora o reserva do parque esta virando um condominio fantasma pois os moradores estao todos indo embora

  2. 100% das blitze pelas quais passei (bom deixar claro que é a experiência que EU tenho, antes que digam que estou falando que é sempre assim com todos) foram apenas para checar se o licenciamento estava pago e/ou, no máximo, fazer teste do bafômetro.
    Destas, algumas vezes sequer verificaram se o condutor estava habilitado.

    Querem mesmo nos fazer acreditar que verificam os veículos em busca de armas ilegais, drogas ou outras coisas indevidas?
    Estão indo no que é mais fácil para arrecadar – as multas enormes para direção sob efeito de álcool e as por atraso no licenciamento (fora as taxas de guincho e diárias de pátio).
    Fora que inúmeras vezes provocam engarrafamentos desnecessários (poderiam organizar melhor as blitze, inclusive escolhendo certos lugares e horários menos inconvenientes, ainda mais que não olham os veículos, mesmo).

    1. A solução meu caro irmão, são as pessoas de bem pararem de cheirar Pó, Pararem de Fumar Maconha, Pararem de Comprar Materiais Roubados, na Feira do rolo, e na mão de pessoas duvidosas. Porque tudo isso só fortalece o crime, em todos os sentidos. Quem assim não faz, paga pelos irmãos que fazem, porque não são poucos. O nome disso é Pecado. Genesis 3:9-12 , Romanos 5: 17-20. Jesus veio trazer renovo. Porém muitos rejeitaram e o rejeitam ainda! Nossa Política é uma vergonha, não tem como ser levada a sério. Deem uma lida em Romanos 3:10-26.
      Nosso problema, não é a Política, não é a Falta de policiamento. E apenas o PECADO QUE REINOU NO MUNDO! Se convertam a Deus, através de Cristo Jesus!

    2. vrdade esta seguranca de feira esta entregue cade os vereadores para agir por nos pois estamos vivendo preso dentro d nossa propia casa

Mais Notícias

image

Rádio acorda cidade