Feira de Santana

‘Muitas crises explodindo ao mesmo tempo’, avalia escritor Glauco Monteiro sobre atual gestão de Colbert Martins

Recentemente, Glauco Monteiro também lançou o seu segundo livro, que conta a história de um adolescente com problemas familiares, dificuldades de relacionamento e sofre com uma paixão platônica por uma colega da escola.

23/11/2021 10h56, Por Maylla Nunes

image image image image image

Compartilhe essa notícia

image image image image image

PUBLICIDADE

Laiane Cruz

Em visita a Feira de Santana para divulgação do seu segundo livro ‘O Exército do Bolso de Michel’, o jornalista feirense, comentarista político e escritor Glauco Monteiro Wanderley, fez uma avaliação sobre a atual situação do segundo mandato do prefeito Colbert Martins.

De acordo com Glauco Monteiro, mesmo residindo no Rio de Janeiro atualmente, ele segue acompanhando o noticiário de Feira de Santana. De acordo com ele, muitas crises estão explodindo ao mesmo tempo na segunda gestão do prefeito Colbert Martins, que precisa dar uma guinada para terminar bem o seu mandato.

“Eu tenho visto essa problemática toda que envolve os ambulantes da Marechal. O centro da cidade está irreconhecível, é positivo, mas essas pessoas não podem ficar desamparadas. Também tem havido toda essa queixa sobre o Shopping Popular, em que não há um acordo, e a Câmara tenta interferir, mas a relação do prefeito com a Câmara é muito ruim e há um desgaste muito grande. Acho que isso tudo é muito excessivo para o primeiro ano do atual mandato. Já vai se deteriorando muito a situação, por conta dessa relação com a Câmara, desses grandes problemas, como tem tido no transporte também, pois o BRT é uma obra ineficaz, que não atende e não satisfaz a expectativa”, afirmou.

Para o comentarista político, a situação atual não é favorável ao prefeito, que sempre foi tido como um homem que tem dificuldade de relacionamento na política.

“Ele não é muito político, de estar tentando agradar o tempo inteiro. Por outro lado, a Câmara de Vereadores está sendo presidida pelo Fernando Torres, que sempre foi um cidadão com os nervos à flor da pele, cabeça quente, de vez em quando fala coisas e tem uma postura muito agressiva, enquanto o prefeito é o contrário, muitas vezes prefere nem responder, o que também não é positivo e vai gerando um desgaste, um descrédito da população. O que acontece é que em política não existe vácuo de poder, sempre está ocupado de alguma forma. E se o prefeito se enfraquece, alguém vai se fortalecer para o lugar dele. Hoje, por exemplo, existe essa disputa, em que Fernando Torres lidera um grupo de vereadores, e é uma disputa pelo poder”, opinou.

Obra ficcional

Recentemente, Glauco Monteiro também lançou o seu segundo livro, em conta a história de um adolescente com problemas familiares, dificuldades de relacionamento e sofre com uma paixão platônica por uma colega da escola.

Ao Acorda Cidade, ele também contou sobre o que o motivou a seguir por esse novo caminho. Segundo Glauco Monteiro, o universo da ficção ainda é algo novo para ele, sobretudo devido à toda a sua experiência com a escrita jornalística.

“Depois que eu escrevi ‘Segredos do Planalto’, que fiz aqui em Feira a estreia e o lançamento do livro impresso, eu passei a escrever contos, até como uma forma de treinar a escrita de ficção, porque durante toda a vida eu escrevi como jornalista, escrita dos fatos que acontecem. Mas a escrita de ficção é totalmente diferente, então comecei a produzir contos, e um deles acabou crescendo porque a história se impõe e virou um livro. O Michel é o personagem central, um garoto que está com problemas em casa, os pais se separando e tem uma paixão platônica por uma colega de escola. Ele é meio isolado e não se dá muito com os outros colegas. De repente, ele encontra esses soldadinhos, que passam a interagir e interferir nas coisas da vida dele, ajudando-o a resolver seus problemas, mas também criando novos, e esse é o grande mote do livro.”

A inspiração parte de toda a sua bagagem de leituras feitas ao longo da vida. “Li muitos livros clássicos e quando eu era criança gosta muito das histórias em quadrinhos, e passei toda a vida lendo livros de fantasia, e de toda a espécie. E a inspiração vem daí, que tem muita referência dos livros juvenis e adultos. Também, eu fiquei muito em crise com o Jornalismo, em função desse ambiente político que a gente passou a respirar, esse ambiente contaminado, tóxico, que está em torno de nós. E nessa crise, procurei ver o que poderia fazer, mas acabei caindo também na escrita, porque é mesmo a vocação. Decidi que iria escrever ficção e passei a me dedicar a isso”, revelou.

O livro já foi lançado no formato digital, no site da Amazon. “Você pode ler no aparelho kindle ou pode baixar o aplicativo da Amazon e ler no celular. É possível também configurar para que o interessado ao acessar a página, procure Glauco Monteiro na Amazon, e a pessoa já cai na minha página, que tem todos os contos e o livro. Pode pedir pra adquirir o livro impresso e chega pelo Correio em casa”, explicou.

Glauco Monteiro destacou que pretende continuar escrevendo, pois é uma atividade prazerosa e ajuda a viver o dia a dia com mais satisfação. “Criar um mundo a partir do zero. O escritor tem controle desse universo que ele está criando. A gente não tem controle de nada na nossa vida, mas no caso da escrita não, aquele universo é seu, você controla e decide o que vai acontecer.”

Com informações do repórter Ed Santos do Acorda Cidade. 

Compartilhe essa notícia

image image image image image image

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

Mais Notícias

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

image

Rádio acorda cidade