MPF apura responsabilidade da Caixa Econômica

02/03/2010 às 15h49, Por Dilton e Feito

Compartilhe essa notícia

O caso do suposto bilhete de bolão premiado em Novo Hamburgo (RS) será apurado pelo Ministério Público Federal (MPF). O procurador da República Ângelo Roberto Ilha da Silva enviou um ofício, na sexta-feira (26), para a Caixa Econômica Federal (CEF) e para o delegado Clóvis Nei da Silva, responsável pelo inquérito policial que investiga crime de estelionato. Os dois têm até sexta-feira (5) para se manifestarem.

Um grupo de moradores de Novo Hamburgo reclama a participação em um bolão e ter acertado os números sorteados no concurso 1.155 da Mega-Sena. No entanto, a Caixa Econômica Federal informou que não houve apostas vencedoras.

Segundo o G1, o procurador Ângelo Ilha está levantando informações a respeito do caso do grupo de apostadores de Novo Hamburgo que não teve seus números computados pela CEF no sorteio da Mega-Sena realizado em 20 de fevereiro.

O procurador disse que “a linha de investigação do delegado é de crime de estelionato (…) e que há o plano de responsabilidade extra-criminal, que é da Caixa Econômica Federal fiscalizar o sistema que envolve as loterias e da própria conduta da permissionária da Caixa perante o jogo”.

O MPF quer saber se a CEF tinha conhecimento que as lotéricas incentivavam a prática de “bolões” e se havia alguma cobrança das lotéricas para a organização dos grupos de apostadores.
 

Informações do Correio

Compartilhe essa notícia

Categorias

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Mais Notícias

image

Rádio acorda cidade