Feira de Santana

Moradores do Conjunto Feira VII e Fraternidade reclamam de terrenos usados para descarte de entulho e lixo

O secretário de serviços públicos ressaltou que uma nova legislação foi aprovada no município e que deverá multar as pessoas que descartam entulho e lixo de forma irregular.

08/04/2020 às 10h56, Por Rachel Pinto

Compartilhe essa notícia

Rachel Pinto

Moradores dos Conjuntos Feira VII, Fraternidade e Elza Azevedo, na região do bairro Tomba em Feira de Santana reclamam de pontos de entulho e lixo espalhados por toda parte. Segundo eles, um terreno onde existem caixas de água antigas, ao lado da Estação Cidadania e Cultura na Rua El Salvador, é um desses locais que acumula grande parte desse descarte.

Foto: Ney Silva/Acorda Cidade

A dona de casa, Maria do Carmo Ferreira da Cruz relata que a prefeitura faz a limpeza do local, passa as máquinas, mas muitas pessoas que não têm consciência, voltam a descartar lixo. De acordo com ela, carroceiros são comuns nesta prática.

Maria do Carmo comentou que a grande preocupação é que o lixo acumulado também acaba se tornando reservatório de água parada e criadouro do mosquito Aedes Aegypti, transmissor da dengue, zika e chikungunya.

A dona de casa já foi acometida pela dengue e tem medo de voltar a ficar doente.

Foto: Ney Silva/Acorda Cidade

“Tem muito lixo acumulado e isso pode favorecer as larvas do mosquito. As pessoas tem que se preocupar com o coronavírus, mas não podem esquecer da dengue. Eu tive dengue e passei cinco dias internada”, afirmou.

O repositor Fernando Silva mora na Travessa Pau Ferro, próximo ao Conjunto Elza Azevedo. O terreno de uma antiga chácara se transformou em um lixão e causa muitos transtornos aos moradores. De acordo com ele, a limpeza é feita pelos moradores, pois os proprietários não se importam com o acúmulo de lixo.

Foto: Ney Silva/Acorda Cidade

“Tem lixo de todo tipo. Vários objetos, garrafas e sacos plásticos. Se a gente não limpar vira um matagal. Sempre tem alguém com sintoma de dengue, zika e chikungunya”, observou.

O motorista de táxi Ailton Costa de Almeida também confirmou o problema do lixo acumulado e informou que já conversou com o secretário de serviços públicos Justiniano França para buscar uma solução principalmente com relação a retirada dos reservatórios de água.

Foto: Ney Silva/Acorda Cidade

“Pedimos que fossem feitas as demolições das caixas. São cinco caixas abandonadas, cheias de água parada que estao causando muitas doença. A prefeitura começou a demolir e não terminou. Eu fiquei sabendo que aquele terreno é da prefeitura e a prefeitura emprestou o local para a Embasa”, declarou.

O secretário de serviços públicos Justiniano França explicou o que vem sendo feito para resolver a situação dos pontos de lixo e entulhos em residenciais próximos ao bairro ao Tomba. Ele frisou que a limpeza de vários locais é feita semanalmente e proposta é que no local onde existem as caixas de água, ocorra a construção de uma praça. Ele disse que o projeto já está sendo feito pela Secretaria de Planejamento.

O secretário também ressaltou que uma nova legislação foi aprovada no município e que deverá multar as pessoas que descartam entulho e lixo de forma irregular. Tanto o gerador, quanto a pessoa que transporta esse material.

Foto: Ney Silva/Acorda Cidade

 

“Estamos montanto uma equipe para fiscalizar isso. Ela responsabiliza o gerador e também o transportador. Às vezes o gerador contrata alguém para levar o lixo sem se preocupar qual será o destino. Entendemos que o destino final de uma caçamba que tem entulho tem que ser o aterro sanitário. Temos pontos da prefeitura que as pessoas podem utilizar para essa finalidade”, acrescentou.

Com informações do repórter Ney Silva do Acorda Cidade.
 

Compartilhe essa notícia

Categorias

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Mais Notícias

image

Rádio acorda cidade