Feira de Santana

Mercado de Arte de Feira de Santana recebe violeiros e poetas em cantoria beneficente próximo sábado (7)

O objetivo do evento é arrecadar recursos para o violeiro e poeta Zé Soares, da cidade de Caruaru (PE), que necessita realizar uma cirurgia nos dois olhos.

05/05/2022 10h58, Por Gabriel Gonçalves

image image image image image

Compartilhe essa notícia

image image image image image

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

Atualizada em: 13:19

Laiane Cruz

No próximo sábado (7), no palco do Mercado de Arte Popular de Feira de Santana, vai acontecer uma cantoria beneficente com diversos violeiros do município e de cidades da região, como também do estado de Pernambuco. O evento, que irá começar, às 10h, será gratuito e aberto a toda a população.

O objetivo do evento é arrecadar recursos para o violeiro e poeta Zé Soares, da cidade de Caruaru (PE), que necessita realizar uma cirurgia nos dois olhos, que foram lesionados acidentalmente enquanto ele fabricava um instrumento musical.

Foto: Ed Santos/Acorda Cidade | Violeiro e poeta Zé Soares que está em tratamento oftalmológico

O violeiro Zé Soares irá participar da cantoria, como atração principal da festa, ao lado do colega José Francisco. Outros nomes conhecidos também irão abrilhantar o evento, como o poeta pernambucano Chico Pedrosa, o cordelista e folheteiro Jurivaldo Alves, de Feira de Santana, o cantor e produtor cultural Roberval Barreto, o poeta Luciano Ferreira, de Coração de Maria, além do cordelista Franklin Machado, entre outros convidados especiais, que abraçaram a campanha.

De acordo com o violeiro Francisco Carlos Galvão, que é químico industrial aposentado, mais conhecido como Carlinhos Pedrosa, todas as pessoas que prestigiarem o evento poderão colaborar com a cirurgia de Zé Soares, de forma voluntária, através de doações em dinheiro.

“É uma cantoria beneficente por motivos do nosso poeta estar perdendo a sua visão e está buscando aqui em Feira de Santana ajuda e uma tecnologia mais avançada, que ele achou aqui para fazer essa cirurgia e esse tratamento. Nós achamos, junto com os nossos colegas e nossos amigos, trocamos algumas ideias, e procuramos ajeitar e fazer essa cantoria beneficente. Ninguém paga nada, é 0800, entrada gratuita, no palco do mercado, contamos somente com a colaboração dos amigos que por lá estiverem conosco”, ressaltou o violeiro.

Segundo Carlinhos Pedrosa, os olhos do colega Zé Soares foram atingidos por limalhas, enquanto ele fabricava violas com a lixadeira, em um momento de descuido, e hoje ele encontra-se com glaucoma em um olho e o outro com catarata.

O violeiro destacou que no momento das apresentações, serão disponibilizados chapéus e bandejas para coletar as doações das pessoas que se solidarizarem com o apelo. Ele salientou ainda que diversos permissionários do Mercado de Arte aderiram à campanha, bem como amigos e parceiros de toda a cidade.

“Ele é de Caruaru, mas está aqui em Feira, depois de já ter ido a Recife e procurado ajuda lá, exames, que ele fez em Recife, mas não deu certo. Foi a São Paulo também, mas não deu certo, e financeiramente ele não está em uma condição muito boa. Aqui em Feira de Santana ele está na casa de uma pessoa bem próxima e está fazendo os exames e buscando o tratamento para melhorar a sua situação.”

Carlinhos Pedrosa aproveitou a oportunidade para relembrar sobre o Festival de Violeiros que era realizado em Feira de Santana. Na opinião dele, o evento trazia grande valorização para os artistas da área e precisa ser resgatado, pois faz parte da cultura regional.

Foto: Ed Santos/Acorda Cidade

“Há anos nós tínhamos o Festival de Violeiros, que era trazido aqui para Feira de Santana por Dadinho e Caboquinho, que infelizmente nos deixaram. Ficou o João Ramos, mas já tem alguns anos que não está mais acontecendo. O que precisa é que toda essa turma se una, se abrace e forme talvez uma associação entre todos, para que possa ganhar força e possa disseminar a nossa cultura popular, nordestina, que é riquíssima. Nós temos grandes artistas aqui em Feira de Santana, que infelizmente estão escondidos por trás das cortinas, que não se abrem, por falta de alguém ou por falta de uma associação, de um grupo que se una e abrace essa causa, para que sejam divulgados todos eles. Eu gostaria também de agradecer à Secretaria de Cultura, de Turismo e Desenvolvimento, a divulgação do jornalista Jânio Rego, ao Nivaldo Cruz, ao amigo Romildo do Mercado de Arte e a todos os amigos”, declarou.

 

Com informações do repórter Ed Santos do Acorda Cidade

 

Siga o Acorda Cidade no Google Notícias e receba os principais destaques do dia. Participe também dos nossos grupos no WhatsApp e Telegram

Compartilhe essa notícia

image image image image image image

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Captcha

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

Mais Notícias

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

image

Rádio acorda cidade