Polícia

Idoso acusa lutador de MMA de agressão em Feira de Santana

De acordo com coordenador regional de polícia, delegado João Rodrigo Uzzum, o idoso sofreu graves lesões.

12/05/2016 às 14h03, Por Andrea Trindade

Compartilhe essa notícia

Acorda Cidade

A Polícia Civil de Feira de Santana está investigando uma queixa de agressão física praticada por um lutador de MMA contra um idoso na última segunda-feira (9). O comerciante Luiz Bezerra, 61 anos, registrou queixa de agressão na tarde ontem (11), no Complexo de Delegacias, após receber alta médica.

De acordo com coordenador regional de polícia, delegado João Rodrigo Uzzum, o idoso sofreu graves lesões. Ele disse também que aguarda o professor Ricardo Meireles comparecer na delegacia para ser interrogado.

“O fato está sendo apurado na 1ª Coordenadoria em conjunto com a 2ª Delegacia Territorial de Feira de Feira de Santana. As primeiras informações colhidas dizem que são lesões de gravidade maior, ele sofreu fratura no osso do tórax, sofreu fissura na costela, e várias escoriações pelo corpo e no rosto. Observamos pelo próprio estado dele que realmente foi muito agredido e o suposto agressor, o professor Ricardo Meireles, muito conhecido na cidade, lutador, possui uma academia e a gente sabe que existe uma desproporção física muito grande entre ele e a vítima que é um senhor de 61 anos. A vítima é uma pessoa que de fato não tinha condições de enfrentar a pessoa de Ricardo Meireles.

Ainda segundo o delegado Luiz Bezerra foi submetido a exames de lesão corporal.

“A agressão se baseou na força física e nos golpes que ele aplicou neste senhor. Estamos agora na fase de colhida de provas, a vítima foi socorrida ao hospital e posteriormente já submetida a exames de lesões corporais, estamos também ouvindo testemunhas do fato e aguardando a apresentação do senhor Ricardo Meireles para que seja ao submetido ao devido interrogatório. Testemunhas informaram que o senhor Ricardo Meireles, estava querendo estacionar seu veículo sobre uma calçada e o senhor Luiz Bezerra, que vende objetos de cerâmica e estava ali com seu comércio, quando Ricardo solicitou que ele tirasse os objetos. Este senhor se recusou a se retirar, gerando uma discussão e passou a ser agredido de maneira gratuita”, relatou o delegado.

O comerciante contou que o professor sempre estacionava o veículo em outro local e que desta vez pediu para estacionar no local onde ele tinha acabado de colocar seus itens de cerâmica para vender.

“Eu tinha uma loja ao lado da casa dele, Casa do Barro, aí desaluguei, entreguei a casa a mulher, e fiquei vendendo no passeio dela. Ele chegou, parou o carro na frente, nunca colocou o carro ali, sempre coloca de lado, e eu tinha acabado de colocar o meu ali. Aí ele me xingou eu disse que era ele aí ele foi no meu peito eu cai lá, e ele veio me batendo e eu só me defendendo. Depois de me agredi muito ele ainda me ameaçou”, disse.

Fotos e informações do repórter Aldo Matos do Acorda Cidade
 

Compartilhe essa notícia

Categorias

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Mais Notícias

image

Rádio acorda cidade