Funcionária pública assassinada deixou carta apontando culpado

Nadja já teria inclusive procurado o Ministério Público para falar sobre ameaças que estaria recebendo.

29/09/2009 12h18, Por Dilton e Feito

image image image image image

Compartilhe essa notícia

image image image image image

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

As investigações sobre o assassinato da funcionária pública Nadja Suely Araújo, 43 anos, e sua filha Vitória Brandão, 12, ocorrido em 27 de agosto, no distrito de Humildes, apresentam um fato novo e que pode ser determinante para a polícia desvendar o caso. A vítima deixou uma carta apontando o culpado por eventual atentado à sua vida.

Segundo a delegada Martine Veloso, da Delegacia da Mulher, que está apurando o duplo assassinato, Nadja já teria inclusive procurado o Ministério Público para falar sobre ameaças que estaria recebendo. Martine não adiantou maiores detalhes da carta, por entender que isso poderia prejudicar o andamento dos trabalhos, mas garantiu que os crimes serão elucidados em pouco tempo.

Outro fato novo no caso, ainda de acordo com a delegada, foi a localização de um carro incendiado, também no distrito de Humildes. Em princípio, a polícia acredita que pode tratar-se do carro usado pelos criminosos. A funcionária pública foi assassinada na estrada do distrito, próximo à BR-324, quando levava a filha para a escola. A menina ainda chegou a ser hospitalizada, mas faleceu posteriormente.

Madalena de Jesus

Com informações do repórter Aldo Matos

Compartilhe essa notícia

image image image image image image

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

Mais Notícias

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

image

Rádio acorda cidade