Polícia

Força-tarefa vai elucidar crimes praticados em Feira de Santana durante a greve da PM

De acordo com o coordenador regional de polícia, delegado Ricardo Brito, abril foi um mês atípico por conta da greve da PM.

07/05/2014 17h50, Por Kaio Vinícius

image image image image image

Compartilhe essa notícia

image image image image image

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

Laiane Cruz

Abril foi considerado o mês mais violento de 2014 em Feira de Santana, quando foram registrados 76 homicídios, cinco latrocínios (roubo seguido de morte) e seis autos de resistência (morte em confronto com a polícia) no município. Devido aos números preocupantes, a Coordenadoria Regional de Polícia solicitou à Secretaria de Segurança Pública do estado uma força-tarefa para elucidar os crimes, praticados, em sua maioria, durante a greve da Polícia Militar da Bahia, com um total de 46 homicídios.
 
De acordo com o coordenador regional de polícia, delegado Ricardo Brito, abril foi um mês atípico por conta da greve da PM. Segundo ele, foram solicitados na Secretaria de Segurança Pública mais seis delegados e 18 investigadores, além dos que já existem na Delegacia de Homicídios.
 
“Nós registramos um índice muito alto de homicídios. E por isso foi confirmada uma força-tarefa e já tem alguns delegados confirmados para tentar o mais breve possível elucidar esses crimes”, afirmou Ricardo Brito.
 
Quanto ao homicídio praticado contra o guarda municipal Marcus Vinicius, o coordenador de polícia informou que desde o primeiro momento tomou conhecimento do fato. “Mandei uma equipe ao local e determinei empenho. Tenha certeza de que esse crime não vai ficar impune. Cobrei de todos os policiais envolvidos e estamos tomando as devidas providências”, declarou. 

As informações são do repórter Aldo Matos do Acorda Cidade.

Compartilhe essa notícia

image image image image image image

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

Mais Notícias

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

image

Rádio acorda cidade