Feira de Santana

Feirenses comemoram a canonização de Irmã Dulce com ida ao Vaticano e caravana para Salvador

Um grupo de Feira de Santana sairá no dia 7 de outubro e retornará no dia 14, após a cerimônia de canonização.

03/09/2019 10h11, Por Andrea Trindade

image image image image image

Compartilhe essa notícia

image image image image image

PUBLICIDADE

Rachel Pinto

A canonização de Irmã Dulce no dia 13 de outubro em cerimônia presidida pelo Papa Francisco no Vaticano é motivo de festa e de alegria para muitos brasileiros, principalmente baianos. Conhecida como o Anjo Bom da Bahia, ela se tornará a primeira santa brasileira. Para celebrar esse momento, alguns baianos já se programam para participar da festa na Itália e também das comemorações que serão realizadas durante o mês de outubro na Bahia, especialmente em Salvador.

O professor Eduardo Brito já está arrumando as malas para viajar para o Vaticano e acompanhar o momento especial de canonização da beata baiana. Católico desde pequeno, ele conta que está sentindo muita alegria no coração em vivenciar esse momento e vai aproveitar as férias para viajar. Eduardo informou ao Acorda Cidade que procurou uma agência de viagens para organizar sua ida a canonização de Irmã Dulce e o investimento total ficou em aproximadamente R$10.500 .

“A viagem acontece em 7 de outubro e com certeza em setembro eu devo começar a fazer e a meu preparativo interior. Irmã Dulce sempre marcou a minha história, principalmente porque ela era da nossa terra, da nossa Bahia. Eu passei minha primeira infância em Salvador e eu cheguei aqui em Feira de Santana já depois dos oito anos de idade. Eu recordo que minha mãe gostava muito dela e havia muitos episódios sobre ela que eram contados como o fato de Irmã Dulce enfrentar o governo e defender os pobres. A última vez que eu a vi foi em um evento na Fonte Nova que o padre Zezinho cantou. Ela já estava bem fragilizada e eu me lembro que ao vê-la próximo a mim eu senti uma emoção muito forte”, afirmou em entrevista ao Acorda Cidade.

Eduardo Brito ressaltou sobe a importância do legado deixado por Irmã Dulce e seu exemplo de vida que foi pautado na caridade, na fé e no amor ao próximo. Ela sempre se colocou disposta a servir e ajudar o próximo e para ele, esse é o verdadeiro sentido da vida.

“É um sentido de vida profundo. Ela passou pela vida do povo baiano, do povo pobre que necessita e deixou algo significativo. Uma das coisas que marcaram a vida de Irmã Dulce e está relatado no filme, por exemplo, é a sua humildade. Um momento em que ela chega a uma feira pedindo doações aos comerciantes para ajudar os pobres e de repente um comerciante cospe em sua mão. Ela limpa a mão em seu hábito e estende a outra mão para o comerciante dizendo: ‘Isso que você me deu é meu. Agora, por favor, me dê a esmola para o pobre’. Aquilo tocou o comerciante e diz a história que a partir daquele momento ele se tornou um dos grande colaboradores da obra de Irmã Dulce”, comentou.

O grupo em que o professor Eduardo Brito vai viajar sairá de Feira de Santana no dia 7 de outubro e retornará no dia 14, após a cerimônia de canonização. O padre Hipólito e o arcebispo Dom Zanone vão conduzir de forma espiritual o grupo e o roteiro da viagem inclui também a visita ao Santuário de Fátima e a cidade de Assis, onde nasceu São Francisco de Assis.

Foto: Ed Santos/Acorda Cidade

O missionário Adson Sadat, responsável pela Missão Recomeçar de Feira de Santana está organizando uma caravana que irá para o Santuário de Irmã Dulce no dia 13 de outubro. O evento será em comemoração a canonização de Irmã Dulce em Roma e contará com uma peregrinação ao Santuário de Irmã Dulce no Largo de Roma. Sadat declarou ao Acorda Cidade que a canonização da beata baiana é um momento lindo e muito forte para a igreja católica.

“Do dia 13 a o dia 19 do mês de outubro vai haver uma semana de preparação para o dia festivo. No dia 20, na Arena Fonte Nova será a celebração para o dia festivo e haverá a 1ª santa missa dedicada a Imã Dulce. No dia13 iremos ao santuário e participaremos de uma peregrinação. Será uma experiência fantástica, uma experiência que nós somos privilegiados por vivenciar esse momento. Ela foi uma santa já em vida, uma santa pelas suas obras, uma serva do Senhor. Assim, o reconhecimento pela santa igreja dos seus milagres agora após a morte, é necessário. Esse reconhecimento para ser declarada como santa. Mas, a gente sabe e quem conviveu e sabe da história de irmã Dulce sabe que ela foi uma santa através do trabalho, do bem que fez aos pobres”, relatou.

Sadat explicou ainda que qualquer pessoa que se interessar poderá ir junto com a caravana para as comemorações da canonização de Irmã Dulce em Salvador. As inscrições podem ser feitas pelo Instagram Recomeçar Oficial e também pelo WhatsApp: (75) 9 88030677. O valor é de R$ 80 e dá direito ao translado para Salvador, participação em toda a programação e uma camisa homenageando Irmã Dulce.
“Será um momento de muita alegria e muita fé. Convidamos todas as famílias para vivenciarem esse momento de graça. Para viver um dia de santidade e oração”, concluiu.
 

Com informações do repórter Ed Santos do Acorda Cidade.

Compartilhe essa notícia

image image image image image image

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

Mais Notícias

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

image

Rádio acorda cidade