Feira de Santana

Nova proposta de reajuste salarial para rodoviários é apresentada por empresas de ônibus

Uma reunião foi realizada na tarde desta terça-feira (7).

07/06/2022 18h06, Por Gabriel Gonçalves

image image image image image

Compartilhe essa notícia

image image image image image

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

Foto: Paulo José/Acorda Cidade

Foi realizada na tarde desta terça-feira (7), uma reunião entre os representantes das empresas de ônibus que operam no município de Feira de Santana, Rosa e São João, da prefeitura e do Sindicato dos Trabalhadores Rodoviários, para debaterem sobre a proposta do reajuste salarial da categoria.

Em entrevista ao Acorda Cidade, o presidente do sindicato, Alberto Nery, informou que irá se reunir com os trabalhadores, afim de saber a opinião da categoria à respeito da nova proposta.

“Nós estamos tentando encontrar alternativas desde o dia que encaminhamos a pauta, isso foi no dia 28 de março, e no dia de hoje, foi apresentada uma proposta da ordem de 13% do salário e 15% do ticket alimentação. Nós estaremos nas empresas levando esta proposta para apreciação dos trabalhadores, se for da vontade dos trabalhadores, nós estaremos aprovando essa proposta. Estamos há três anos sem os trabalhadores terem um reajuste, nós gostaríamos de avançar mais, mas entendemos que o momento é crítico que se passa aqui no transporte, com o aumento diário do diesel e as condições de tráfego da área distrital. Então nós vamos levar esta proposta e se os trabalhadores entenderem que devemos aprovar, nós aprovaremos e buscaremos o fechamento deste acordo”, explicou.

Ainda de acordo com o presidente, a empresa Rosa não efetuou o pagamento dos trabalhadores que estão gozando de férias.

“A nossa pretensão seria de 14% linear, tanto do ticket como no salário, mas nós avançamos pouco mais no ticket, tivemos 15% no ticket alimentação, e 13% no salário. Eu acho que é uma proposta que podemos até defender. Estamos com a empresa Rosa por exemplo, que deu férias aos trabalhadores e até o presente momento não foram pagas essas férias, o plano de saúde por exemplo, a data do pagamento seria dia 15 de maio nós estamos já virando 8 de junho e a empresa até o presente momento não pagou ainda o plano de saúde, então por outras razões a categoria pode pensar em paralisações”, concluiu.

Com informações do repórter Paulo José do Acorda Cidade

Siga o Acorda Cidade no Google Notícias e receba os principais destaques do dia. Participe também dos nossos grupos no WhatsApp e Telegram

Compartilhe essa notícia

image image image image image image

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

Mais Notícias

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

image

Rádio acorda cidade