Feira de Santana

Moradores protestam há 3 dias por melhorias em estradas de Maria Quitéria

Eles pedem a pavimentação da estrada que dá acesso a Carro Quebrado, Garapa, Ovo da Ema, Saco do Capitão, Bar dos Primos e Formiga.

06/07/2022 09h06, Por Laiane Cruz

image image image image image

Compartilhe essa notícia

image image image image image

PUBLICIDADE

Foto: Paulo José/ Acorda Cidade

Com o objetivo de chamar a atenção do poder público municipal, moradores de Maria Quitéria, zona rural de Feira de Santana se reuniram, na manhã desta quarta-feira (6), para protestar contra a situação das estradas que dão acesso às localidades do distrito.

Segundo os moradores, a manifestação já dura três dias. Eles pedem a pavimentação da estrada que dá acesso a Carro Quebrado, Garapa, Ovo da Ema, Saco do Capitão, Bar dos Primos e Formiga.

Foto: Paulo José/ Acorda Cidade

Em entrevista ao Acorda Cidade, a moradora Samile Lima, de 26 anos, relatou que as estradas estão em péssimas condições e o transporte está deixando de circular, prejudicando a população e dificultando a ida ao trabalho.

“As estradas das localidades de Garapa, Ovo da Ema e Carro Quebrado estão fazendo vergonha. A gente está esquecido, está tudo alagado aqui e dentro de casa, a gente não pode sair, as estradas estão ruins, estamos em péssima condição. E estamos sem transporte há mais de um mês por causa das estradas, pois as vans pararam de rodar porque o piso está muito ruim. Estamos há dias sem poder ir trabalhar porque não tem transporte”, reclamou.

Foto: Paulo José/ Acorda Cidade

A moradora Maria das Graças Jesus de Lima, que nasceu e cresceu na localidade de Garara, lamentou o fato do irmão estar com dificuldade de realizar o tratamento de hemodiálise, por falta de transporte. “Tenho um irmão que faz hemodiálise e ele está há duas semanas sem poder ir. Estava pagando transporte por causa da falta, que não pode andar nessa estrada desse jeito”, disse.

Outra manifestante, Marluce, que mora na Garapa, informou que algumas máquinas estão estacionadas próximo ao distrito, porém não estão executando os serviços. “As máquinas estão aí, mas eles não querem botar para fazer o trabalho, e a gente quer um serviço moralizado, botar cascalho, fazer um trabalho bacana, não é só jogar areia não”, frisou.

Foto: Paulo José/ Acorda Cidade

Eduarda Martins, que mora há 6 anos no distrito de Maria Quitéria, relatou que os jovens estão com dificuldade de sair para procurar emprego, porque não tem transporte em todos os horários.

“Está complicada a situação. Só tem transporte pela manhã, meio-dia e à noite, mas está complicado pois os ônibus pararam também. Está difícil também para os jovens que estão à procura de um trabalho.”

O morador André Luis alegou que somente o superintendente de Manutenção e Obras da prefeitura, João Vianey, é bem-vindo no distrito para esclarecer o motivo das estradas estarem nessa situação.
“Estão fazendo a gente de palhaço. Tiveram duas pessoas aqui ontem para conversar, mas só um falou com sinceridade. A manifestação vai continuar até que um representante venha aqui, e só aceitamos aqui o João Vianey, secretário de obras. Ou ele ou mais ninguém. A gente precisa dele aqui para explicar o que está acontecendo. Eu tenho 10 anos trabalhando aqui nesse sofrimento e ninguém aguenta mais. Quem está de fora critica a gente, mas não sabe o que está se passando aqui. A gente está trocando dinheiro, porque o que a gente ganha, o transporte toma”, sustentou.

A reportagem do Acorda Cidade entrou em contato com a Superintendência de Manutenção e Obras (Soma) para esclarecer sobre a situação e aguarda uma resposta.

Com informações do repórter Paulo José do Acorda Cidade.

Siga o Acorda Cidade no Google Notícias e receba os principais destaques do dia. Participe também dos nossos grupos no WhatsApp e Telegram

Compartilhe essa notícia

image image image image image image

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

  1. Adriano disse:

    Vergonhoso o tratamento ou melhor a falta dele dada pelo prefeito ao povo da zona rural. Na ultima eleição ele disse que tinha recebido o recado do povo da zona rural nas urnas e que iria trabalhar em prol da zona rural, porém ficou só lá na campanha. Parece que ele não gosta desse povo querido, humilde e carismático, deveria andar mais na zona rural para ver se melhora estas características nele.

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

Mais Notícias

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

image

Rádio acorda cidade