Feira de Santana

Diretor de Limpeza Pública diz que prefeitura planeja aumentar efetivo para atender demanda

Quanto à poda de árvores, o diretor de limpeza João Marcelo, destacou que o trabalho é feito dentro de uma programação.

29/05/2022 12h00, Por Laiane Cruz

image image image image image

Compartilhe essa notícia

image image image image image

PUBLICIDADE

Foto: Enviada via WhatsApp

Em meio a uma série de reclamações por parte da população feirense com relação à limpeza pública, poda de árvores e manutenção de vias e avenidas onde o mato cresce rapidamente, o diretor de limpeza público do município, João Marcelo, informou que o prefeito Colbert Martins deverá contratar novos agentes nos próximos dias para atender o aumento da demanda na cidade.

De acordo com João Marcelo, em entrevista ao Acorda Cidade, a prefeitura de Feira de Santana tem um contrato com a empresa Sustentare, que realiza o serviço de limpeza nas vias. Ao todo são 16 equipes com 15 pessoas, que ficam circulando pela cidade, através de um planejamento, feito pelo departamento de limpeza pública, gabinete do secretário de Serviços Públicos, além do gabinete do prefeito Colbert Martins, que solicita algumas demandas.

Foto: Paulo José/Acorda Cidade

“Nesta semana estivemos no Residencial Campo Belo, próximo ao Campo do Gado, no bairro Santo Antônio dos Prazeres, no Conjunto Feira X, Parque Sabiá, no distrito da Matinha, no bairro Capuchinhos, na Rua Venezuela, Avenida Noide Cerqueira, Viveiros, Centro de Abastecimento, Humildes, no centro da cidade, próximo à Rodoviária, na Estação Nova e no Jardim Cruzeiro. Os pontos de maior dificuldade são aqueles locais onde as pessoas costumam descartar lixo em locais inapropriados. São locais usados pela comunidade que faz reforma em casa e não contrata o serviço correto e pega aquele entulho, a areia, poda de árvores, sofás e demais utensílios e descartam em vias públicas ou terrenos”, justificou o diretor.

Ele citou ainda como dificuldade o descarte irregular de lixo feito por carroceiros em terrenos baldios da cidade, além de lixo jogado nas ruas de forma inapropriada pela população, sobretudo em locais onde há feiras livres.

“Fui a um evento próximo ao Casarão Olhos D’Água, passaram dois carroceiros e depois passaram mais dois e descartaram materiais em um terreno próximo. A gente faz um trabalho com educadores ambientais, mas não surte efeito. Ali na praça do Tomba, por exemplo, onde tem a feirinha dia de domingo, colocamos alguns educadores para trabalhar junto aos comerciantes e solicitar que o lixo seja descartado em local próprio, em vasilhames, sacos, porque no contrato, diz que o lixo deve ser colocado em recipientes e não ser jogado no chão. E a população insiste em descartar no meio da rua”, alertou.

Quanto à poda de árvores, o diretor de limpeza João Marcelo, destacou que o trabalho é feito dentro de uma programação.

“Não podemos maltratar as árvores, fazendo podas rotineiras. A poda é feita de acordo com a condição da árvore. Recentemente, o departamento fez um mutirão na região da Avenida Maria Quitéria, da procuradoria até próximo ao bairro Mar da Tranquilidade”, afirmou.

João Marcelo disse ainda que muitas reclamações sobre mato crescido em vias ocorrem devido às chuvas.

“Na Fraga Maia, nós fizemos a manutenção e 60 dias depois retornamos para execução de novos serviços. Na Noide Cerqueira e José Falcão da mesma forma. São avenidas longas e a gente inicia, mas quando conclui, às vezes, o local do início parece que não foi feito. E o prefeito sinalizou que agora haverá uma contratação de pessoal para suprir a necessidade da população”, concluiu.

Com informações do repórter Paulo José do Acorda Cidade

Siga o Acorda Cidade no Google Notícias e receba os principais destaques do dia. Participe também dos nossos grupos no WhatsApp e Telegram

Compartilhe essa notícia

image image image image image image

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

Mais Notícias

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

image

Rádio acorda cidade