Feira de Santana

115 casos de abuso sexual contra crianças e adolescentes já foram registrados neste ano em Feira de Santana

Após a denúncia realizada no Conselho Tutelar, o caso é encaminhado à Delegacia para que seja investigado.

25/05/2022 10h10, Por Gabriel Gonçalves

image image image image image

Compartilhe essa notícia

image image image image image

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

Foto: Ney Silva/Acorda Cidade

Comemorado na última quarta-feira, o 18 de maio celebrou o Dia Nacional de Combate ao Abuso e Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes. Embora seja um único dia, a campanha se estende por todo o mês através do Maio Laranja e chama atenção da sociedade para o número de casos que ocorrem na cidade. Até o momento foram 115 casos registrados e o grande alerta é que os abusadores geralmente são pessoas próximas das crianças e adolescentes e estão no convívio familiar.

Em Feira de Santana, as atividades de conscientização e informação estão sendo realizadas em órgãos públicos, escolas públicas da rede municipal e estadual, além de escolas da rede privada.

Ao Acorda Cidade, o conselheiro tutelar, Antônio Correia do Conselho Tutelar I, destacou que as campanhas devem continuar, chamando à atenção da sociedade, para que a violência seja cessada.

Foto: Ney Silva/Acorda Cidade

“Já estamos fazendo esta campanha em prol do Dia Nacional, desde o dia 1º de maio e se estende até o final do mês. Já realizamos palestras no Ministério Público, Defensoria Pública, nas repartições da prefeitura municipal como nos Creas e nos Cras, além das escolas da rede pública municipal e estadual, e as escolas da rede privada. Já estamos planejando realizar novas palestras, pois o nosso foco é propagar esta campanha de combate ao abuso e a exploração sexual de crianças e adolescentes, pois neste mês, que convidamos à sociedade para nos apoiar e assim, encerrar esta violência”, informou.

De acordo com a Antônio Correia, apenas na Delegacia do Adolescente Infrator (DAI), 60 casos de abusos já foram registrados.

“Nós temos a informação que na Delegacia do Adolescente Infrator (DAI), até o presente momento, cerca de 60 casos de abusos e exploração sexual contra crianças e adolescentes, já foram registrados. De acordo com os nossos dados aqui, somando os quatro Conselho Tutelares, nós temos mais 55 casos, tudo isso registrado entre o dia 1ºde janeiro, até o dia 30 de abril”, informou.

Segundo Antônio Correia, a maioria das vítimas são crianças e adolescentes do sexo feminino.

“Geralmente, o perfil das crianças é mais voltado para o sexo feminino, muito embora, já temos aqui registrados, casos de abusos contra meninos e a faixa etária da idade, vai entre 3 até 13 anos de idade e por incrível que pareça, os agressores fazem parte do seio familiar. Podemos dizer que pelo menos, 95% dos casos, é desta forma. As vezes é na figura do pai, do padrasto, do irmão, do primo, tio, avô, são estes que mais tem aproximação com a vítima, e às vezes quem faz a denúncia, é um vizinho, uma vizinha que está passando por ali e observa a situação. Infelizmente a própria genitora também sofre a agressão, o abuso sexual que por muitas vezes, é o próprio marido, porém muitos casos não são expostos por situação financeira. Muitas mães ficam imaginando que se denunciarem, como é que vão criar o filho, a filha, como vão se manter, se toda a renda era do marido, mas aqui, a gente faz o alerta, pois o município de Feira de Santana tem o sistema de garantia dos direitos voltados tanto para a criança e para o adolescente, quanto a mãe. Hoje nós temos o Centro de Referência Maria Quitéria, onde as vítimas são acolhidas neste sede, e a partir deste momento, passam a ter um acompanhamento”, explicou.

Ao Acorda Cidade, Antônio Correia informou que após a denúncia realizada, o Conselho Tutelar encaminha a situação para a delegacia responsável, para que o caso seja investigado.

“Quando a gente recebe as denúncias aqui em nossa própria sede, nós precisamos verificar se todas as informações possuem procedência. Na certeza disso, encaminhamos um ofício, requisitando que a Delegacia do Adolescente Infrator (DAI), possa fazer todo o processo de investigação. Muitas vezes, a gente recebe denúncia dos Creas, dos Cras, das escolas, e isso é de suma importância, para que aquela prática de violência, deixe de acontecer dentro daquela residência”, concluiu.

Telefones para contato:

Conselho Tutelar I – (75) 3624-9960
Conselho Tutelar II – (75) 3614-3169
Conselho Tutelar III – (75) 3623-8117
Conselho Tutelar IV – (75) 3226-6753

Disque 100 – Violação de Direitos Humanos
Disque 180 – Central de Atendimento à Mulher
Disque 190 – Polícia Militar

Leia também:

Maio Laranja: Prefeitura realiza caminhada em combate aos crimes sexuais contra crianças e adolescentes

Maioria de denúncias de abuso e exploração sexual de crianças e adolescentes chega à delegacia através de escolas

Com informações do repórter Ney Silva do Acorda Cidade

Siga o Acorda Cidade no Google Notícias e receba os principais destaques do dia. Participe também dos nossos grupos no WhatsApp e Telegram

Compartilhe essa notícia

image image image image image image

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

  1. Ju disse:

    Tem as denuncias mas o conselho tutelar nao faz NADA, Porque conheço crianças em situação de risco gravissima já denunciei eles só vão lá e não faz nada. Quando acontecer algo pior eles dizem que NINGUEM denunciou,que NINGUEM FEZ NADA,Como que pode isso acontecer com a criança e ninguém fez NADA.. Ou então não é o caso de uma família rica que acontece aciona e eles punem!!!!

  2. disse:

    Infelizmente vivemos em uma sociedade do tipo Tomé,Só ver pra crer.. Estão esperando acontecer algo com os menores pra depois se lamentarem.. O CT da Cidade não resolve NADA!

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

Mais Notícias

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

image

Rádio acorda cidade