Feira de Santana comemora o Dia da Independência

187 anos depois do grito de "Independência ou Morte", vários cidadãos saíram de suas casas, como fazem todos os anos, para acompanhar o desfile cívico.

07/09/2009 12h35, Por Dilton e Feito

image image image image image

Compartilhe essa notícia

image image image image image

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

Fotos: Andréa Trindade

Em 7 de setembro de 1822 Dom Pedro gritou “Independência ou Morte”. Hoje, 187 anos depois, mais de duas mil pessoas saíram de suas casas, como fazem todos os anos, para acompanhar o desfile cívico e comemorar o marco histórico que tornou o Brasil independente do reino português. As pessoas que foram assistir o evento bradaram com grito de entusiasmo e aplaudiram as exibições dos grupos que participaram do desfile.

A independência do Brasil trouxe a emancipação política no início do século XIX e é comemorado anualmente, em todas as cidades brasileiras. 

Em Feira de Santana, durante desfile cívico, passaram pela avenida Presidente Dutra a Associação dos Ex-Combatentes, 35º Batalhão de Infantaria, 1º Batalhão de Polícia Militar, Colégio da Polícia Militar de Feira de Santana, 2º Pelotão da 3ª Companhia de Polícia Rodoviária Estadual, 2º Grupamento de Bombeiro Militar, Polícia Rodoviária Federal e Superintendência Municipal de Trânsito (SMT).

Segundo informações da Secretaria Municipal de Comunicação, dentre as entidades que desfilaram a pé estavam a Guarda Municipal, Centro Social Urbano (CSU), Fundação de Apoio ao Menor de Feira de Santana (Famfs), Banda Marcial do Dispensário Santana, Grupo dos Desbravadores, Grupo de Escoteiros Padre Giovanni Ciresola, Sociedade Beneficente Professor Rossini, Guarda Mirim, Ginga Menino, Grupamento Capítulo De Molay – Associação Pára-Juvenil e Filhas de Jô, Instituto de Educação Gastão Guimarães (IEGG) e Fanfarra Municipal Ana Maria, além de outras escolas da rede municipal de ensino.

No entanto, as fanfarras de escolas da cidade, como IEGG (Instituto Educação Gastão Guimarães) e da Escola Municipal, como ano passado, estiveram ausentes.

Quanto às entidades motorizadas, participaram da festa cívica a Alô Táxi, Associação de Mototaxistas de Feira de Santana e do Amantes do Fusca., além de entidades montadas, com participações do Grupamento de Cavalaria do 1º Batalhão de Polícia Militar,e Clube do Cavalo.

Prepostos da Guarda Municipal e agentes de trânsito também participaram. As tropas militares se concentraram na avenida Presidente Dutra, próximo ao cruzamento com a avenida João Durval Carneiro, enquanto as demais entidades que desfilaram a pé se concentrara no cruzamento com a avenida Maria Quitéria, seguindo em direção à Praça Jackson do Amaury. O escoamento foi pela rua Barão de Cotegipe, para quem desfilou a pé, e na rua J. J. Seabra, para os motorizados.

O palanque oficial esteve armado no trecho do cruzamento com a Rua Barão do Rio Branco. Logo em frente, os mastros onde foram hasteadas as bandeiras do Brasil, da Bahia e de Feira de Santana. O prefeito Tarcízio Pimenta esteve presente no evento, juntamente com os comandos do 1º Batalhão de Polícia Militar e do 35º Batalhão de Infantaria do Exército.

O Grito dos Excluídos

Há 15 anos, o grupo grito dos excluídos faz uma passeata, após o desfile oficial. Cantam em voz alta e reivindicam direitos e melhorias sociais. Segundo o coordenador do grupo, Cláudio Ismero, a manifestação trata-se de um momento de protesto e de reflexão sobre a sociedade.

 

Imagens do desfile

 

Compartilhe essa notícia

image image image image image image

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

Mais Notícias

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

image

Rádio acorda cidade