Feira de Santana

Familiares e colegas fazem carreata para protestar contra prisão de motorista por aplicativo

No dia 29 de abril haverá uma nova audiência sobre o caso.

26/04/2022 13h14, Por Rachel Pinto

image image image image image

Compartilhe essa notícia

image image image image image

PUBLICIDADE

Rachel Pinto

Familiares e colegas do técnico em refrigeração e motorista por aplicativo Jefferson Bento Santana, que está preso há sete meses acusado de participar de uma série de assaltos em Feira de Santana, realizaram uma carreata na manhã desta terça-feira (26), para chamar a atenção das autoridades, alegando ele foi preso injustamente.

Foto: Ed Santos/Acorda Cidade

Jefferson foi preso no dia 23 de setembro de 2021, após sair do trabalho em um hospital e atuar como motorista de aplicativo, atividade que ele tinha como uma renda extra. Segundo a família, ele aceitou uma corrida que foi solicitada por dois homens desconhecidos e que, no meio do percurso, anunciaram o assalto, fazendo-o refém e obrigando-o a dirigir enquanto praticavam outros crimes.

Foto: Ed Santos/Acorda Cidade

Conforme a família de Jefferson, há provas que indicam que ele não teve participação nos crimes. No entanto, houve falhas durante a investigação e ele está preso por um crime que não cometeu.

Durante a carreata de hoje os manifestantes foram até o Ministério Público Estadual e também à Câmara de Vereadores para chamar atenção sobre o caso e pedir ajuda para provar que Jefferson é inocente.

A esposa do motorista, Raquel Bartira Santana Matos, contou ao Acorda Cidade que o marido está abalado com tudo que aconteceu e não vê a hora de provar a sua inocência e estar em liberdade. De acordo com Raquel, ela e a sogra visitam Jefferson de quinze em quinze dias e ele sempre relata que está vivenciando momentos horríveis na prisão. Ela informou que o filho do casal, um garoto de 3 anos, sente muito a falta do pai e a ausência tanto emocional como financeira tem impactado muito a família. Já houve duas audiências do caso, a terceira será realizada no próximo dia 29 e ela disse que espera que a justiça seja feita.

Foto: Ed Santos/Acorda Cidade

“Acredito que houve muitos erros. Desde quando ele foi ouvido na delegacia, pediu que fosse vista a prova no celular, o seu histórico, e não viram. Ele também estava com a farda da empresa que trabalhava. Além disso, os meliantes disseram que ele não estava envolvido nos crimes. Nosso objetivo é pedir justiça e sensibilizar as autoridades para provar a inocência dele”, declarou.

A sogra de Jefferson, Jailma Freitas, afirmou ao Acorda Cidade que a família espera que a justiça leve em consideração todas as provas que foram apresentadas.

Foto: Ed Santos/Acorda Cidade

“A gente pede apoio dos vereadores e da comunidade para resolver essa situação, que está muito difícil. Já são sete meses e é preciso que vejam que nem todo mundo é bandido”, comentou.

O vereador Silvio Dias contou que  a família do motorista relatou todo o caso na Câmara de Vereadores e ele fez a solicitação no plenário para que a Comissão de Direitos Humanos acompanhe o caso e auxilie a família no que for preciso.

Foto: Ed Santos/Acorda Cidade

“Que se faça justiça, caso se comprove que ele não tem nenhuma ação delituosa junto com os meliantes. Tudo que foi apresentado pela família indica que ele não teve participação, que se faça justiça e ele seja liberado”, encerrou.

Foto: Ed Santos/Acorda Cidade

Com informações do repórter Ed Santos do Acorda Cidade.
 

Siga o Acorda Cidade no Google Notícias e receba os principais destaques do dia

Compartilhe essa notícia

image image image image image image

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

Mais Notícias

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

image

Rádio acorda cidade