Exposições movimentam o Cuca nesta quinta-feira

Dois grandes eventos de artes plásticas estão programados para o Centro Universitário de Cultura e Arte (Cuca), nesta quinta-feira.

05/10/2009 11h24, Por Dilton e Feito

image image image image image

Compartilhe essa notícia

image image image image image

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

Dois grandes eventos de artes plásticas estão programados para o Centro Universitário de Cultura e Arte (Cuca), nesta quinta-feira ( 8 ). A exposição Doce de Santo, projeto, que reúne um coletivo de artistas, pensado para recortar e pontuar fragmentos de vivências da cultura popular será aberta às 20 horas, na galeria de Arte Carlo Barbosa.

No Museu Regional de Arte acontece no mesmo horário, a exposição do artista plástico Florival Oliveira, que apresenta trabalhos de escultura em madeira. Uma realização da Universidade Estadual, de Feira de Santana (Uefs), por meio do Cuca e a Paulo Darzé Galeria de Arte, a mostra permanece em cartaz até 6 de novembro.

Doce de Santo tem a característica de um projeto processual, pois os trabalhos a serem apresentados criam possibilidades de complementação na medida em que novas obras são acrescentadas à proposta inicial, revela Luiz Cláudio Campos que divide a curadoria da mostra com José Henrique Barreto.

A ideia é propor a participação de 365 artistas, onde o experimento permite estabelecer um diálogo entre a matéria, a idéia e o fazer artístico ao longo do processo criativo: um artista para cada dia do ano e seu olhar diferenciado sobre o objeto de trabalho. Os integrantes da mostra propiciam um entrelaçamento das suas poéticas visuais e possibilitam a interlocução com a vivência de outros, pela criação de uma obra plural e processual.

Universo criativo

A arte de Florival tem como chão a sua terra natal: Riachão de Jacuipe, mostrando saberes e fazeres de sua gente, o que faz tornar-se um tradutor do sentimento de universalidade do mundo que vive na sua aldeia, portas do sertão baiano. Estas são marcas de uma obra iniciada em 1976.

Sobre o seu aprendizado técnico, ele conta como aconteceu: folha de madeira compensado apodrecida na parede do galpão da escola e um desenho. “Recortei nestas placas soltas do entremeio a matriz da xilogravura. Foi a ação inserida no universo da gravura”, explica o artista que cursou Licenciatura em Desenho e Artes Plásticas pela Eba/Ufba, concluindo em 1980.

Exposições e prêmios

Florival participou de várias exposições coletivas e individuais, somando-se trinta anos de trabalho ininterrupto. São destaques em 1981, 35 Anos da Gravura – Eba/Ufba; IV Salão Nacional de Artes, Rio de Janeiro/RJ; Encontro de Artistas do Nordeste, Museu de Arte Moderna, Salvador. Em 1985, Geração 70, Museu de Arte, Salvador; Origem da Paz, Museu de Arte, Salvador; Caligrafia e a Escritura Brasileira, Funarte, Rio de Janeiro. Fora do Brasil expôs em 2002,  na Bienal de Buenos Aires, Argentina. Em 2005, 14ª Arte-BA/2005, edición Argentina.

É detentor de prêmios como o Mambembão, 1978 – Teatro Livre da Bahia – Oxente Gente Cordel; Martins Gonçalves, 1978 – Teatro Livre da Bahia – Gracias a la Vida; Funarte – Xilogravura, 1980 – V Salão Nacional Universitário, Salvador; Animathon,1986, Filme de animação "Garrancho"Office nacional du film du Canadá.

Socorro Pitombo – Assessoria Cuca/Uefs

Compartilhe essa notícia

image image image image image image

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

Mais Notícias

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

image

Rádio acorda cidade