Polícia

Estudantes do Colégio Rotary são assaltados à mão armada na saída da unidade

De acordo com uma das vítimas, em entrevista ao Acorda Cidade, eles estavam em grupo de cinco estudantes, quando três assaltantes os abordaram próximo a uma madeireira.

18/04/2022 16h34, Por Laiane Cruz

image image image image image

Compartilhe essa notícia

image image image image image

PUBLICIDADE

Laiane Cruz

Quatro estudantes do Colégio Estadual Rotary, localizado na Rua João Sampaio Machado, no bairro Capuchinhos, registraram boletins de ocorrência, na tarde desta segunda-feira (18), no Complexo Policial do Sobradinho, em Feira de Santana, após serem assaltados por três homens supostamente armados, nas proximidades da unidade escolar, por volta de 11h50, quando retornavam para casa.

De acordo com uma das vítimas, em entrevista ao Acorda Cidade, eles estavam em grupo de cinco estudantes, quando três assaltantes os abordaram próximo a uma madeireira, com as mãos embaixo das camisas, afirmando estarem armados. 

“Nós estávamos saindo da escola às 11h50 e fomos abordados por três meliantes. Eles colocaram a gente no canto e simularam que estavam armados, colocando a mão debaixo da camisa, e pediram os nossos celulares. Um deles chegou a me agredir, me dar um soco, e puxar o celular que estava debaixo da minha camisa. Após isso, um funcionário da madeireira chegou a fazer uma ligação para a polícia e como os policiais da Rondesp Leste estavam por perto, eles conseguiram recuperar os nossos pertences”, relatou o adolescente.

Foto: Divulgação/ Rondesp Leste

Outro estudante informou ao Acorda Cidade, que eles levaram quatro aparelhos celulares. Os bandidos teriam atuado de forma rápida e já saíram logo após tomarem os pertences. Os suspeitos foram presos pela equipe da Rondesp.

“Eles não levaram outros objetos. Já tem ocorrido assaltos ali naquela região faz um tempo, outros estudantes também já foram assaltados. A Rondesp estava por perto e teve uma ação rápida. Os indivíduos assaltam de cara limpa e não é a primeira vez que atuam nos arredores da escola. Estávamos em cinco, porém eles só levaram quatro aparelhos, porque um dos colegas estava com o aparelho na mochila e eles não quiseram abrir.”

O jovem disse ainda que no momento da ação dos criminosos, levou um murro na região do tórax. O fato deixou os estudantes assustados e não quiseram arriscar enfrentar os bandidos.

“Eu recebi um soco após sair da escola, então dá um pouco de medo de ir para a escola e saber que na volta a gente pode ser agredido e roubado. Eles não chegaram a mostrar nenhum tipo de arma, porque mantiveram o tempo todo a mão debaixo da camisa e não deu para saber se eles realmente estavam armados ou não. Eu levei uma pancada forte em meu peito e sem saber se o cara estava armado, não vale a pena correr o risco por causa de um pertence.”

Insegurança perto das escolas

Não é a primeira vez que estudantes de escolas estaduais relatam medo e insegurança nos arredores das unidades de ensino. Os jovens relatam sobre assaltos diariamente e assédio sexual nos arredores e também nas portas das escolas, tanto na entrada quanto na saída.

Incomodados com esta situação, no dia 6 de março deste ano, estudantes matriculados no Centro Estadual de Educação em Saúde (Ceep), Colégio Modelo Luis Eduardo Magalhães e Instituto de Educação Gastão Guimarães (IEGG) realizaram uma manifestação em frente ao Núcleo Territorial de Educação (NTE) para pedir mais segurança nos arredores das escolas.

Os estudantes denunciaram que os crimes ocorrem em qualquer horário, e que os bandidos se escondem pelas esquinas, em quiosques, e pediram providências das autoridades policiais.

Após o protesto, o coronel Adalberto Píton, comandante do Comando Regional Leste (CPRL), informou, em entrevista ao Acorda Cidade, que pretende melhorar a estrutura do programa Ronda Escolar, ampliando o serviço da PM para operação.

Segundo ele, as viaturas da ronda contam com três ou quatro policiais, que têm um roteiro específico. Além disso, as equipes também dão palestras nas unidades escolares com temas ligados à segurança pública. O comandante não informou, porém, quando o programa deverá ser ampliado.


Com informações do repórter Aldo Matos do Acorda Cidade.

 

Leia também: Estudantes de escolas estaduais fazem manifestação para pedir mais segurança

Após protesto de estudantes contra assaltos, CPRL diz que pretende ampliar rondas nas escolas

 

Siga o Acorda Cidade no Google Notícias e receba os principais destaques do dia

 


 

Compartilhe essa notícia

image image image image image image

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

Mais Notícias

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

image

Rádio acorda cidade