Estado gasta apenas 24,8% dos recursos previstos este ano

Passados nove meses do ano, o governo da Bahia executou somente 24,86% (cerca de R$ 600 milhões) do total de investimentos em obras, reequipamento e outras ações, previstos para 2009 (R$ 2,520 bilhões) pelo orçamento do Estado. Na Segurança Pública, por exemplo – segundo dados do Sistema de Informações Contábeis e Financeiras (Sicof) da Secretaria […]

29/09/2009 09h26, Por Dilton e Feito

image image image image image

Compartilhe essa notícia

image image image image image

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

Passados nove meses do ano, o governo da Bahia executou somente 24,86% (cerca de R$ 600 milhões) do total de investimentos em obras, reequipamento e outras ações, previstos para 2009 (R$ 2,520 bilhões) pelo orçamento do Estado.

Na Segurança Pública, por exemplo – segundo dados do Sistema de Informações Contábeis e Financeiras (Sicof) da Secretaria Estadual da Fazenda ( Sefaz) apurados até 21 de setembro – foram liquidados apenas 8,53% da rubrica de investimento estipulado para o ano (R$ 145.223 milhões). 

A Secretaria do Turismo apresentou uma execução de somente 4,31% dos investimentos. A pasta da Agricultura liquidou 4,50%;  Educação, 16,94%;  Desenvolvimento Social, 18,44%; Trabalho, 7,76%; Desenvolvimento Urbano, 21,53%; Saúde, 41,18%; Infraestrutura, 31,03%; Indústria e Comércio; 19,17%.

Esses são alguns dos resultados da execução no que diz respeito a investimentos feitos pelo governo, que, já na média da execução geral do orçamento (de R$ 21,313 bilhões), até a referida data, liquidou despesas na ordem de R$ 12,161 milhões (57,06% do total). 

A execução geral envolve, além dos investimentos,  despesas com pessoal, custeio, encargos  e amortização da dívida e transferências aos municípios. Na avaliação do diretor de assuntos econômicos do Instituto de Auditores Fiscais da Bahia (IAF), Sérgio Furquim, a baixa média de execução dos investimentos demonstra que a área foi a primeiro a sofrer com o que ele considera uma falta de ações do Estado para combater os efeitos da crise econômica mundial. (A Tarde)

Compartilhe essa notícia

image image image image image image

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

Mais Notícias

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

image

Rádio acorda cidade