Feira de Santana

Espetáculo Travessia retorna ao palco do Centro Cultural Sesc

Estreada nos palcos em 2021, a peça autoral da Coletiva de Teatro Insurgente coloca em cena as forças esmagadoras que atuam no Brasil até os dias atuais.

01/03/2022 15h51, Por Gabriel Gonçalves

image image image image image

Compartilhe essa notícia

image image image image image

PUBLICIDADE

Acorda Cidade

Nos meses de março e maio, o espetáculo Travessia entra na programação do Centro Cultural do Sesc Feira de Santana. As apresentações serão realizadas nos dias 10 e 17 de março e nos dias 5 e 12 de maio, sempre às 20 horas. Os ingressos podem ser adquiridos na bilheteria do teatro das 14 às 18 horas (de terça-feira à sexta-feira), a R$ 20 inteira, R$ 10 meia e R$ 16 para Cliente Pleno. A carteira de vacinação atualizada e o uso da máscara são obrigatórios.

Estreada nos palcos em 2021, a peça autoral da Coletiva de Teatro Insurgente coloca em cena as forças esmagadoras que atuam no Brasil até os dias atuais. Escrita por Joel Carlos e Raphael Cardoso, “Travessia” faz coro à luta dos povos indígenas no Brasil, apresentando os impactos da destruição ambiental na vida de todos os seres vivos. O texto traz o cruzamento entre “A Gaivota” de Anton Tchecov, “Grande Sertão: Veredas” de Guimarães Rosa e a força xamã de Davi Kopenawa, porta-voz Yanomami e autor do livro “A queda do céu”. Com a contracenação da Feiticeira Gaivota (Débora Almeida), do Surubim Xamã Jagunço (Joel Carlos), do Rasgo da Voz (João Caetano), da música ao vivo (Ruan Alves e João Antonio) e das projeções (Raphael Cardoso), a encenação de Travessia é um manifesto poético e político que propõe discursos, encruzilhadas, profusão de acontecimentos e novas aberturas no campo do sensível para ir além do que se vê.

Para a Coletiva de Teatro Insurgente, Travessia é entendida também enquanto um organismo vivo e pulsante, por isso passa por múltiplas metamorfoses. Nasceu como peça radiofônica, foi transformada em obra audiovisual e hoje em dia ganha potência total nos palcos. A força e o desejo de criar coletivamente seguem a fluidez do curso do rio, que ora se faz sereno, ora se faz correnteza, sem perder a beleza e a potência durante o trajeto. Atravessada pela linguagem poética, pelas experimentações audiovisuais e pelas criações sonoras, a encenação aponta novas possibilidades de construção de caminhos possíveis.

Para pessoas interessadas em apoiar o espetáculo Travessia e a Coletiva de Teatro Insurgente, o grupo está recebendo doações vitais via pix ([email protected]). Cada apoiador se torna também um co-produtor e estreita laços com artistas independentes e suas produções, contribuindo para o fortalecimento dos futuros trabalhos da companhia. Cada pessoa co-produtora ao enviar o comprovante pix para o e-mail: [email protected] receberá de volta um desenho inspirado na peça chamado “Encruzilhadas” feito pelo artista visual Joel Carlos, concorrerá ao sorteio de um par de ingressos e terá seu nome compartilhado nas redes da Coletiva e no teatro nos agradecimentos.

A Coletiva de Teatro Insurgente

Localizada na sertaneja cidade de Feira de Santana (BA), a Coletiva de Teatro Insurgente tem como fundamento a linguagem antropofágica de Oswald de Andrade e a roseana, de Guimarães Rosa. Desde 2018 a companhia incorpora em seus trabalhos de teatro-ritual a música, as artes plásticas e a dança em processos de co-criação entre artistas.

A Coletiva iniciou seus trabalhos com a apresentação de Cenas Negras Insurgentes no Dia da Consciência Negra, celebrado em 20 de novembro. Em 2019, a Coletiva realizou a primeira edição do projeto Conversação Cênica, além da apresentação de Leituras Dramáticas em Tempos Urgentes e a cena curta “Para Ver a Luz do Sol”. Em 2020, a Coletiva apresentou pela primeira vez a radiopeça Travessia, escrita em contexto pandêmico por Joel Carlos e Raphael Cardoso. Também lançou a Revista Miragem, projeto em formato audiovisual que promoveu bate-papos com profissionais das artes cênicas. No ano passado, Travessia ganhou um curta-metragem e estreou nos palcos.

A companhia conta com uma estação de rádio no Spotify (Rádio Coletiva) e um canal de TV no Youtube (TV COLETIVA de Teatro Insurgente), com interpretações de textos de autores como Conceição Evaristo, Marcelino Freire e Waly Salomão. A Coletiva de Teatro Insurgente possui perfil no Facebook (@coletivadeteatroinsurgente · Produções teatrais) e no Instagram (@coletivadeteatroinsurgente). 

Compartilhe essa notícia

image image image image image image

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

Mais Notícias

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

image

Rádio acorda cidade