Educação

Engenheiro e professor de Feira de Santana é aprovado em seleção internacional de doutorado na Austrália

Ele passará os próximos três anos realizando pesquisas acerca do desenvolvimento das cidades em todo o mundo, a partir do crescimento da utilização de veículos autônomos, que não possuem motorista.

09/04/2022 09h02, Por Andrea Trindade

image image image image image

Compartilhe essa notícia

image image image image image

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

Laiane Cruz

O engenheiro civil e professor universitário Allan Pimenta, que durante três anos atuou em Feira de Santana ensinando em faculdades e na área de engenharia civil e urbanista até março deste ano, foi selecionado como bolsista para fazer doutorado na Monarsh University, situada em Melbourne, na Austrália, em uma seleção com cerca de mil pessoas inscritas de diversos países.

O professor Allan Pimenta foi orientador de um projeto de Trabalho de Conclusão de Curso (TCC) da graduanda Mariana Amaral, da Faculdade Unef, que propôs a requalificação da feira livre da Rua Marechal Deodoro, com padronização e realinhamento das barracas no canteiro central da via sem retirar os feirantes.

À época, em entrevista ao Acorda Cidade, Pimenta ressaltou que o estudo foi feito ouvindo lojistas e feirantes. Além disso, todo o projeto foi discutido e apresentado à prefeitura, antes da implantação do Projeto Novo Centro, mas não foi aceito.

O engenheiro encabeçou a elaboração de diversos projetos de mobilidade e urbanismo para o município, juntamente com estudantes do curso de Arquitetura e Urbanismo. Ele também criticou a implantação do BRT em sua fase de implantação na cidade, ao afirmar que o projeto não obedecia às necessidades do transporte público e o plano diretor de Feira.

Agora, na Austrália, o professor passará os próximos três anos realizando pesquisas acerca do desenvolvimento das cidades em todo o mundo, a partir do crescimento da utilização de veículos autônomos, que não possuem motorista.

Foto: Arquivo Pesssoal 

“Meu doutorado agora está mais voltado para algumas tecnologias mais recentes, estou estudando o impacto da mobilidade urbana dos veículos autônomos, que não têm motoristas, e já é uma realidade em muitos países, para saber como esses veículos vão impactar o desenvolvimento das cidades já que muitas pessoas vão tender a morar até mais longe do centro urbano, visto que não vai ter o trabalho de dirigir e vão poder usar os seus veículos e isso aumenta o tempo em que estarão mais dispostas a usar esse tipo de veículo. Isso normalmente tem um impacto no desenvolvimento urbano. Antes do advento do automóvel, as cidades eram mais compactas. Após a chegada do automóvel, as cidades começaram a se espalhar, já que com o automóvel se chega mais rápido ao centro, mesmo morando longe. E a hipótese da minha pesquisa é saber como isso vai acontecer com os veículos autônomos. Essa modelagem é o projeto da minha pesquisa, que vai impactar o mundo”, esclareceu em entrevista ao site Acorda Cidade.

Para conquistar a bolsa neste doutorado, Allan Pimenta precisou passar por análise de currículo e realizar entrevistas online com os professores da instituição para a qual foi selecionado.

“Eu me inscrevi nesse processo, através de uma seleção que eu vi que tinha algumas bolsas para essa área, no site da universidade. Participei dessa seleção através de análise de currículo, entrevistas com os orientadores e a partir dessas entrevistas fui selecionado para essa bolsa, que é financiada pela instituição em parceria com o governo australiano. O governo fornece esse recurso para a universidade, para que possa contratar um aluno de doutorado, e fez a seleção com alunos de todo o mundo, e eu fui selecionado”, informou.

Esta é a terceira vez que o engenheiro e professor universitário estuda fora do país. Sua primeira experiência no exterior foi como bolsista do programa do governo federal Ciência sem Fronteiras.

“Foi aqui mesmo em Melbourne, na Monarch, em 2013 e 2014, quando fiz intercâmbio pelo programa Ciência Sem Fronteiras. Em 2016, fiz o mestrado em Abu Dhabi, nos Emirados Árabes, onde estudei no Mazda Institute, um programa de mestrado parceiro do Massashucets Intitute of Technology (MIT), dos Estados Unidos, e minha formação foi conjunta por essas instituições. Em 2018, voltei para o Brasil, e agora retorno pela terceira vez para o exterior. É um sentimento muito bom, porque estou aqui em contato com profissionais de diversos países, com grandes habilidades, e a Monarsh University é hoje uma das melhores instituições do mundo. Então para mim é muito gratificante trabalhar com profissionais renomados, como meus orientadores e co-orientadores”, destacou o professor ao Acorda Cidade.

De acordo com Allan Pimenta, os próximos três ou quatro anos serão de muito estudo, mas pretende, após concluir todo esse processo retornar ao Brasil, a fim de aplicar o seu conhecimento.

Minha expectativa para essa nova vida é concluir dentro de três anos, e após isso pretendo retornar ao Brasil, em algum momento. Depende da oportunidade profissional que vai surgir após isso, mas pretendo sim retornar ao meu país em algum momento para poder aplicar esse conhecimento. Eu sempre sonhei, desde que eu terminei a graduação, em me especializar na área de urbanismo, em mobilidade urbana e fiz o mestrado entre 2016 e 2018, e foi exatamente nessa área. Trabalhei com infraestrutura sustentável, e dentro desse mestrado a ênfase maior foi em urbanismo e transportes, mais especificamente o impacto da mobilidade no desenvolvimento urbano. Fiquei dois anos no mestrado, terminei em 2018, e fiquei três anos trabalhando, dando aulas, e agora vou fazer o doutorado aqui na Austrália, na Monarsh University, por pelo menos três anos, podendo se estender por mais um ano, ficando quatro anos no máximo.”

Siga o Acorda Cidade no Google Notícias e receba os principais destaques do dia

Compartilhe essa notícia

image image image image image image

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

Mais Notícias

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

image

Rádio acorda cidade