Feira de Santana

Endividado e sem trabalho fixo, eletrotécnico perde maleta com ferramentas e apela para quem a encontrar: ‘Por favor, me devolva’

Segundo ele, o fato aconteceu na última segunda-feira (2), quando ele se dirigiu ao Tomba para executar um serviço na casa de um cliente.

04/05/2022 10h36, Por Laiane Cruz

image image image image image

Compartilhe essa notícia

image image image image image

PUBLICIDADE

Laiane Cruz

O técnico em eletrotécnica José Wilian Francis, que reside em Feira de Santana, fez um apelo na manhã desta quarta-feira (4), através do Acorda Cidade, para conseguir encontrar uma maleta com ferramentas de trabalho, que foram esquecidas nos fundos de uma van do transporte alternativo, após a caixa d’água do bairro Tomba.

Durante entrevista ao programa, ele contou que o fato aconteceu na última segunda-feira (2), quando ele se dirigiu ao Tomba para executar um serviço na casa de um cliente.

“Eu estava no Tomba e dificilmente eu vou pra lá, aí eu estava com outros materiais na mão e botei atrás do porta-malas e esqueci dessa maleta. Eu estava com três maletas. Quando eu cheguei à casa do cliente, ele disse: ‘Você trouxe o material, mas não trouxe as ferramentas’. Aí que eu me lembrei. Foi antes de ontem, no período da manhã, às 7h. Eu parei no segundo ponto depois da caixa d’água”, relatou o eletrotécnico.

José Willian disse que não se lembra da placa do veículo em que estava, apenas que em uma das janelas havia uma película rasgada. Ele apela ao motorista dessa van ou outro passageiro que se, porventura, encontrou essa maleta e tomou conhecimento da situação dele através do Acorda Cidade, que devolva os equipamentos, pois depende deles para garantir o seu sustento.

Atualmente, o profissional não está trabalhando de carteira assinada em nenhuma empresa e sobrevive realizando serviços autônomos.

“Eu estava em Blumenau, Santa Catarina, e morei a maior parte da minha vida em Caxias do Sul, no Rio Grande do Sul, trabalhando em uma grande empresa de caminhões. Minha esposa morreu e eu vim para cá. Quando eu cheguei aqui em 2020, duas semanas depois aconteceu a pandemia e veio o lockdown. Isso me quebrou. Hoje estou devendo aluguel, luz, água e fiquei em uma situação precária. Vim para cá pelo acolhimento das pessoas”, relatou sobre parte da sua história de vida.

O eletrotécnico se colocou à disposição para realizar serviços a domicílio e também para trabalho fixo em alguma empresa da cidade ou região, que esteja necessitando de profissional da área. Eu gostaria de mostrar uma parte do meu trabalho, quero muito trabalhar e mostrar minha área de serviço. O meu telefone é o (75) 9 9213-5720”, apelou. 

 

Siga o Acorda Cidade no Google Notícias e receba os principais destaques do dia. Participe também dos nossos grupos no WhatsApp e Telegram

Compartilhe essa notícia

image image image image image image

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

Mais Notícias

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

image

Rádio acorda cidade