Empresa de produtos fisioterápicos interditada

Alegação é desrespeito ao Código de Defesa do Consumidor

13/08/2009 19h36, Por Dilton e Feito

image image image image image

Compartilhe essa notícia

image image image image image

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

A Coordenadoria de Municipal de Defesa do Consumidor (Procon) interditou na manhã desta quinta-feira (13) a empresa Fugy Yama do Brasil, responsável pela comercialização de produtos fisioterápicos, em Feira de Santana.

A alegação do órgão para justificar a interdição da empresa é o desrespeito ao Código de Defesa do Consumidor. A sede da empresa fica localizada na rua J. J Seabra, no centro.

O diretor do órgão, Magno Felzemburg, revelou que interdição do estabelecimento só foi possível através de denúncias de consumidores, que foram enganados por vendedores da empresa.

Segundo Magno Felzemburg, os vendedores da Fugy Yama do Brasil vendiam travesseiros fisioterápicos a aposentados, no valor R$ 2.400, usando o argumento de benefícios à saúde.

"Na verdade, se tratava de uma propaganda enganosa e absurda. Quando o aposentado fechava a compra, automaticamente estava fazendo um empréstimo consignado no valor de 36 meses, com os bancos BMG, BMC e Bom Sucesso", revelou.

As denúncias foram feitas por aposentados, que se sentiram lesados pela empresa. A comprovação da denúncia seria a cobrança de parcelas de empréstimo, descontadas no contra cheque.

A ação do Procon contou com a presença de guardas municipais. A proprietária da empresa, Roberta Gomes, foi encaminhada à 1º Delegacia de Polícia, no Complexo Policia Investigador Bandeira, para prestar esclarecimentos.

Os Bancos BMG, BMC e Bom Sucesso também serão notificados pelo Procon", afirmou Magno Felzemburg.

 

 

Compartilhe essa notícia

image image image image image image

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

Mais Notícias

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

image

Rádio acorda cidade