Feira de Santana

Evento em escola estadual debate formas de violência contra a mulher

O gestor da escola, Eduardo Brito, afirmou que não é possível realizar as mudanças necessárias na sociedade, de forma isolada.

04/07/2024 às 17h48, Por Daniela Cardoso

Compartilhe essa notícia

evento colégio luiz viana (6)
Foto: professor Eduardo Brito

Foi realizado nesta quinta-feira (4) um evento sobre Violência contra mulher na percepção juvenil no Colégio Estadual Governador Luiz Viana Filho, em Feira de Santana. O evento debateu diversas formas de violência contra a mulher e contou com a participação da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB).

📲 NOTÍCIAS: siga o canal do Acorda Cidade no WhatsApp

Foto: professor Eduardo Brito

A professora mestra Tatiane Moreira, que é idealizadora do projeto, informou que o evento é realizado há três anos e visa ações voltadas ao empoderamento feminino e a inibição de atitudes machistas e de cunho violento. “Esse tema é importante para que nossos alunos entendam, percebam e se mobilizem com relação a esse assunto”, destacou.

Fotos: professor Eduardo Brito

A advogada Esmeralda Halana, que é presidente da comissão em defesa dos direitos das mulheres e das advogadas OAB Subseção Feira de Santana, destacou que a OAB tem um objetivo para além dos muros da instituição e que o projeto OAB Nas Escolas é uma das formas utilizadas para alcançar a sociedade. “Temos um compromisso social com o estado democrático de direito, com os direitos humanos, com a justiça social, com a boa aplicação das leis e um desses trabalhos que realizamos é o Projeto OAB nas Escolas. Nós visitamos as escolas da nossa cidade para tratar de assuntos sensíveis e importantes como o direito das mulheres”, informou.

Foto: professor Eduardo Brito

A advogada Roseane Farias, falou da importância do evento para que os estudantes estejam bem informados. “A gente trouxe informações a fim de conversar com os alunos sobre violência sexual de forma geral, trazendo assuntos como importunação sexual, assédio e o estupro. Abordando as principais diferenças para que esses alunos tenham informação e conhecimento para se defender e conhecer seus espaços. Também divulgamos os principais canais de denúncia como a Delegacia Especializada de Atendimento à Mulher (Deam) e o 190. É importante que se faça o boletim de ocorrência e é importante que em casos de violência a vítima não tome banho, pois a prova do crime precisa ser preservada”, destacou.

Foto: professor Eduardo Brito

A estudante Kaila Adriele, do 1 ano turma E, falou sobre a importância não só das meninas, mas também dos meninos participarem desse evento. “Muitas pessoas confundem importunação e assédio. Além disso tem pessoas que sofrem essas violências e ficam caladas achando que é algo comum, então com a informação elas podem se alertar. É importante também que os meninos tenham esse conhecimento para não praticarem esses crimes”.

Foto: Aída Vitória

O gestor da escola, Eduardo Brito, afirmou que não é possível realizar as mudanças necessárias na sociedade, de forma isolada. De acordo ele, é preciso uma rede para essa transformação. “Essa parceria entre a unidade escolar, partindo do trabalho de uma professora, da OAB, é uma maneira de transformarmos a sociedade, diminuindo os problemas que temos em relação a violência contra a mulher. A escola é um local que pode contribuir formando nossos jovens para uma consciência diferente”, ressaltou.

Siga o Acorda Cidade no Google Notícias e receba os principais destaques do dia. Participe também dos nossos grupos no WhatsApp e Telegram

Compartilhe essa notícia

Categorias

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Mais Notícias

image

Rádio acorda cidade