Feira de Santana

Dom Zanoni entrega ao Papa Francisco pandeiro confeccionado por comunidade Quilombola

O Pontífice não só sorriu ao receber o instrumento, como arriscou alguns movimentos.

27/05/2022 16h15, Por Acorda Cidade

image image image image image

Compartilhe essa notícia

image image image image image

PUBLICIDADE

Foto: Vatican News – Portal Oficial de Notícias do Vaticano

Um pandeiro como símbolo da alegria da Bahia e do Evangelho: Este foi o presente “original” que os bispos do Regional Nordeste 3 – Bahia e Sergipe, da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil, ofereceram ao Papa Francisco ao final de sua visita Ad Limina. O Pontífice não só sorriu ao receber o instrumento, como arriscou alguns movimentos. (Assista ao vídeo no final da reportagem)

Foto: Vatican News – Portal Oficial de Notícias do Vaticano

A visita Ad Limina é um ato que todo o bispo cumpre para o bem de sua própria diocese e de toda a Igreja, para favorecer a unidade, a caridade, a solidariedade na fé e no apostolado. Trata-se de um momento forte na vida e no ministério pastoral dos bispos, uma oportunidade de experimentar, de forma mais intensa, a comunhão com o sucessor de Pedro e também entre os bispos que, dessa forma, fortalecem a dimensão da colegialidade que os une num só corpo bem unido a serviço da Igreja, Povo de Deus a caminho da casa do Pai.

O Regional Nordeste 3 é composto pelos Estados de Bahia e Sergipe, somando 17 milhões de habitantes. Cerca de 65% dos baianos se declaram católicos, enquanto os católicos sergipanos são 77%.

Para o presidente do Regional, Dom João Cardoso, bispo da Diocese de Bom Jesus da Lapa, a audiência com o Papa foi “o ponto mais alto da visita”, que teve início na última segunda-feira, 23 de maio.

“Ressaltamos ao Papa como é importante o seu profetismo e, sobretudo, o seu protagonismo em favor da paz no mundo. Repercutiu tão positivamente em nossas igrejas o ato solene de consagração da humanidade, particularmente da Rússia e da Ucrânia, ao Imaculado Coração de Maria.”

A Francisco, os bispos partilharam também os desafios que a região enfrenta, acentuados pela crise econômica em decorrência da pandemia, como o avanço das seitas pentecostais. Falou-se ainda do meio ambiente e das enchentes que atingiram a Bahia e a solidariedade manifestada inclusive internacionalmente.

Fenômenos pós-modernos que afetam a Igreja, como secularismo, fundamentalismo, extremismos, relativismos, também foram mencionados, assim como o desafio do anúncio do Evangelho na cultura digital. Para Dom João, as redes sociais que deram voz à “idiocia”, ao “pregador de internet”.

“O Papa nos acolheu com muita fraternidade, com muita alegria, mostrando grande simpatia pela caminhada da Igreja no Brasil e de forma especial no Regional Nordeste 3.”

No final da visita, o bispo de Juazeiro, Dom Carlos Alberto Breis Pereira (Dom Beto), e o bispo de Feira de Santana, Dom Zanoni Demettino, ofereceram um pandeiro como “sinal da alegria da Bahia, sinal da alegria do Evangelho”, que foi confeccionado pela comunidade quilombola de Matinha dos Pretos, onde recentemente foi criada a Paróquia de São Roque – pertencente a Arquidiocese de Feira de Santana e ainda uma imagem de são Francisco dormindo, “representando assim os sonhos da Igreja de Francisco”.

Siga o Acorda Cidade no Google Notícias e receba os principais destaques do dia. Participe também dos nossos grupos no WhatsApp e Telegram

Compartilhe essa notícia

image image image image image image

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

  1. Paullo Bindá disse:

    Linda imagem, depois e tantas noticias ruins, somos todos convidados a viver com alegria e amor ao próximo, Ele é diferenciado. Parabéns Dom Zanoni pela bela ideia de presenteá-lo com um instrumento percussivo com a cara do Brasil

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

Mais Notícias

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

image

Rádio acorda cidade