Dom Itamar Vian

Vitória da Cruz

“Se alguém quer vir após mim, negue-se a si mesmo, tome cada dia a sua cruz e siga-me” (Lc. 9,23).

13/09/2023 às 15h49, Por Dom Itamar Vian

Compartilhe essa notícia

Foto: Pixabay

No dia 14 de setembro celebramos a festa da Exaltação da Santa Cruz. Como é possível que a Cruz, símbolo de dor e lembrança de inúmeros sofrimentos, seja celebrada e tenha dado origem a uma festa? Não estamos exaltando a morte ou as dores de Jesus, mas a vitória da vida sobre a morte e do perdão sobre o pecado.

NO TEMPO de Jesus, a cruz era sinônimo de suplício. Nela crucificavam os piores criminosos. Ser parente ou amigo de um crucificado era motivo de vergonha e de escândalo. Mas, a partir da morte e ressurreição de Jesus, a cruz tornou-se símbolo de vida e de vitória para os cristãos. É o mais forte sinal do amor de Cristo por nós: “Ninguém tem maior amor do que aquele que dá a vida por seus amigos” (Jó. 15-14).

A CRUZ simboliza tudo o que nos faz sofrer. Diariamente, a encontramos em nossa vida. Ela assume uma imensa diversidade de nomes: doença, pobreza, fome, medo, injustiça, perseguição, calúnia, desemprego, ansiedade, humilhação, fracasso, solidão, morte de um familiar… Mas, tenhamos confiança, Deus sempre nos dá as forças necessárias para carregar a nossa cruz.

ENCONTRAMOS a cruz, frequentemente, pelos caminhos do mundo. Ela se apresenta no alto das igrejas, das montanhas, das torres e nos cemitérios. Ocupa um lugar de honra em nossas casas, nos estabelecimentos públicos e, também, a carregamos sobre o nosso peito. E, acima de tudo, nós traçamos o Sinal da Cruz sobre nós mesmos. É um sinal que nos fala eloquentemente do amor de Cristo, e não um enfeite!

CELEBRAR a Cruz é abraçar a vida com tudo o que ela pode apresentar. O verdadeiro discípulo de Cristo é aquele que carrega sua cruz com paciência, fé e esperança até a morte. O sofrimento chega e traz consigo o desânimo e a falta de esperança. No entanto, quando olhamos para Jesus ressuscitado, entendemos que a vida é mais forte do que a morte e que o bem será sempre vitorioso.

A RESSUREIÇÃO de Jesus permite outro olhar para a cruz. Ela continua sendo dor, mas uma dor passageira, que aponta para a vitória da vida. Portanto, somente pela cruz, que significa morte ao egoísmo, poderemos nos salvar. É o próprio Jesus que nos diz: “Se alguém quer vir após mim, negue-se a si mesmo, tome cada dia a sua cruz e siga-me” (Lc. 9,23). E, em outra passagem, afirma: “Aquele que não toma a sua cruz, não é digno de mim” (Mt. 10,38).

Dom Itamar Vian
Arcebispo Emérito
[email protected]

Compartilhe essa notícia

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Mais Notícias

image

Rádio acorda cidade