Artigo

O bem e o mal

Sentimos também a energia negativa de muitas pessoas que não têm serenidade e paz

24/05/2022 10h08, Por Dom Itamar Vian

image image image image image

Compartilhe essa notícia

image image image image image

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

Muitas pessoas dizem que a vida não vai bem. Suspeitam que alguém esteja lhes desejando o mal. Parecem estar sendo dominadas por uma força negativa que vem de fora. Logo começam a suspeitar que existem pessoas, que não querem o seu bem, ou que, o pior aconteça para elas.

NEM TODOS desejam o bem dos outros. Mas pode alguém me afetar com o mal que me deseja? O mal e o bem são forças. Sentimos uma energia positiva agradável na companhia de pessoas boas. Gostamos de estar junto de pessoas de energia positiva, alegres e otimistas. Ao contrário, sentimos também a energia negativa de muitas pessoas que não têm serenidade e paz. Se não cuidarmos, podemos nos deixar afetar negativamente.

CLARO que isso não é determinante para que minha vida perca o rumo. O outro, pode querer meu mal mas, embora isso tenha força contra mim, não consegue, necessariamente, me afetar. Essa força negativa não é suficiente para alterar o rumo que a minha vida tem pela força positiva que a sustenta. Isso acontece com as pessoas que sabem do seu lugar no mundo e conseguem lidar bem com a vida.

AS PESSOAS que confiam em si mesmas e em Deus compreendem que tem uma força maior do que o mal. Embora reconheçam a presença do mal, sabem que Deus é maior. Essa confiança em Deus traz serenidade ao coração e a energia das pessoas que lhe desejam o mal não consegue abalar a fé em Deus. Além disso, sempre devemos retribuir o mal com o bem. Jogar pragas e desejar o mal para prejudicar alguém é muito grave.

“ABENÇOAI os que vos perseguem; abençoai-os e não os praguejeis” (Rm 12,14). Esse é o conselho valioso que nos dá o apóstolo Paulo. Nossa tendência é sempre de “pagar na mesma moeda”, “olho por olho, dente por dente”. Entre os cristãos deve ser o contrário: abençoar os que nos perseguem; abençoá-los e não jogar pragas. Se agíssemos dessa forma, nossas famílias e comunidades seriam mais felizes.

SÃO PEDRO afirma: “Não pagueis mal com o mal, nem injúria com injúria. Ao contrário, abençoai, pois para isto fostes chamados, para que sejais herdeiros da bênção” (1 Pe 3,9). Deus sempre abençoa e nós herdamos de Deus o direito e o poder de abençoar. Fomos chamados para abençoar e nunca amaldiçoar. Por isso, “abençoai os que vos perseguem; abençoai-os, e não os amaldiçoais (Rm 12,14).

Dom Itamar Vian
Arcebispo Emérito

[email protected]

Compartilhe essa notícia

image image image image image image
Tags BEM

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

Mais Notícias

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

image

Rádio acorda cidade