Novembro Roxo

Na Câmara, presidente da Fundação Hospitalar alerta sobre a prevenção da prematuridade

A Fundação Hospitalar buscou apoio da Câmara para ampliar ambulatório e assistência a prematuros.

16/11/2023 às 12h50, Por Dilton e Feito

Compartilhe essa notícia

novembro roxo - gilbert lucas ft Paulo José acorda cidade
Foto: Paulo José/Acorda Cidade

Na manhã desta quinta-feira (16), a presidente da Fundação Hospitalar de Feira de Santana, Gilbert Lucas e demais profissionais de saúde, estiveram na Câmara Municipal para alertar sobre a campanha Novembro Roxo, mês de ações voltadas para a prevenção da prematuridade, lembrada mundialmente no dia 17 deste mês. 

Segundo Gilbert Lucas, de janeiro a outubro deste ano, foram registrados 489 bebês prematuros. Ao Acorda Cidade, ela falou sobre a ação durante a sessão de hoje. 

“Essa campanha a gente reforça as ações sobre a prematuridade. É importante a gente reforçar que já existe uma lei municipal da vereadora Lu de Rony, onde ela coloca que o município faça ações no mês de novembro sobre a prevenção da prematuridade. É para conscientizar a população, falar da importância do cuidado”, explicou.

De acordo com Gilbert, o Hospital da Mulher está nesta campanha de conscientização, incentivando o fortalecimento do pré-natal através de várias atividades internas na unidade para reforçar essa data e falar da importância da prevenção. Ela explicou que abaixo de 37 semanas, já é considerado um parto prematuro.

“A campanha conta com várias ações internas na unidade. A gente vai ter palestras, ações na internet, que a gente já vem fazendo. Tivemos uma sessão de foto com os bebês prematuros e as mães, fortalecendo também o banco de leite. Então tudo isso é feito em parceria e com certeza em ações contínuas”, relatou.

Ela ainda esclareceu que ao nascer prematuramente, o bebê precisa de cuidados especiais para conseguir sobreviver. Conforme o Ministério da Saúde, a prematuridade é a principal causa da mortalidade infantil em crianças com menos de cinco anos, por isso é imprescindível ter um acompanhamento pré natal. 

“A maioria precisa ficar na UTI ou berçário. Então, às vezes, ele fica de 30 a 60 dias internado na unidade, até acima de 1,850g para ter a alta hospitalar”, pontuou. 

Além de fortalecer o atendimento a bebês prematuros foi falado também sobre a ampliação do ambulatório.

O diretor do Hospital da Mulher, Francisco Mota disse que planeja realocar o ambulatório para fora das instalações principais, possibilitando um aumento no número de salas e leitos disponíveis. Com o projeto já elaborado e equipe especializada à disposição, o médico ginecologista chamou atenção dos parlamentares para a necessidade de recursos financeiros para concretizar o plano. (Por Jaqueline Ferreira, jornalista)

Com informações do repórter Paulo José do Acorda Cidade e da Câmara Municipal de Feira de Santana

Siga o Acorda Cidade no Google Notícias e receba os principais destaques do dia. Participe também dos nossos grupos no WhatsApp e Telegram

Compartilhe essa notícia

Categorias

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Mais Notícias

image

Rádio acorda cidade