Feira de Santana

Dia Internacional da Paz é celebrado em Feira de Santana

O ato reuniu a comunidade, escolas da rede municipal e estadual, além de autoridades e entidades da sociedade civil.

21/09/2018 11h11, Por Rachel Pinto

image image image image image

Compartilhe essa notícia

image image image image image

PUBLICIDADE

Rachel Pinto

O dia 21 de setembro celebra o Dia Internacional da Paz, busca chamar a atenção da sociedade para a promoção de uma cultura de paz e assegurar os direitos humanos. Em Feira de Santana foi realizado um ato pela paz na manhã desta sexta-feira (21), no Espaço Marcus Morais. Uma ação da Campanha Feira pede Paz, o ato reuniu a comunidade, escolas da rede municipal e estadual, além de autoridades e entidades da sociedade civil.

Foto: Paulo José/Acorda Cidade

O secretário municipal de prevenção à violência, Pablo Roberto, explicou que a campanha tem uma vasta programação e todas as ações estão pautadas na discussão sobre a necessidade de uma cultura de paz na cidade. O escritório da campanha fica localizado na Avenida Getúlio Vargas e diariamente ocorrem atividades relacionadas à promoção da paz.

“A provocação que nós estamos fazendo é para colaborar para que a cidade tenha mais paz, mais tranquilidade. Os números que estamos alcançando têm sido satisfatórios. Muita gente está participando. Tem muitos empresários e voluntários dispostos a ajudar nessa campanha”, disse.

Foto: Paulo José/Acorda Cidade

O ato pela paz enfeitou a cidade de Feira de Santana com balões brancos e muitas pessoas vestidas de branco. Segundo o secretário, esse movimento da cultura de paz desperta nas pessoas a reflexão e a importância de perceber e respeitar o outro nas suas diferenças.

A campanha “Feira pede Paz” vai permanecer com o escritório na Avenida Getúlio Vargas durante 60 dias. Ele informou que depois disso será encaminhado para o prefeito Colbert Martins um projeto de lei englobando as pautas da campanha.

“A ideia é que nós possamos implantar um comitê permanente, uma estrutura no governo e que isso possa ser uma política para ser discutida e tratada independente de governo”, acrescentou.

Com informações do repórter Paulo José do Acorda Cidade.

Compartilhe essa notícia

image image image image image image

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

Mais Notícias

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

image

Rádio acorda cidade