Feira de Santana

Comerciantes reclamam do horário de fechamento do Mercado de Arte Popular

Além disso, os permissionários ainda reclamam do pouco movimento de público, especialmente com a falta de shows que antes eram realizados aos sábados.

28/01/2020 13h24, Por Maylla Nunes

image image image image image

Compartilhe essa notícia

image image image image image

PUBLICIDADE

Gabriel Gonçalves e Ney Silva

Alguns comerciantes do Mercado de Arte Popular (MAP) de Feira de Santana estão enfrentando problemas no entreposto comercial como o desligamento da rede de iluminação interna. Segundo eles, isso está prejudicando e fazendo com que eles tenham que fechar os estabelecimentos mais cedo.

Além disso, os permissionários ainda reclamam do pouco movimento de público, especialmente com a falta de shows que antes eram realizados aos sábados.

Segundo a cabeleireira Andreia Oliveira, a direção do MAP está fazendo com que os comerciantes se sintam constrangidos com os desligamentos das redes de iluminação interna.

“Eu tenho seis anos com um salão afro e eu preciso ficar aqui até mais tarde para atender minha clientela. Então quando dar 19h, todas as lâmpadas são desligadas e tenho que descer até o térreo acompanhando os meus clientes com a lanterna do celular. Se continuar desta forma, infelizmente vou ter que tirar meu salão de dentro do Mercado de Arte justamente por causa dessa situação”, afirmou.

A cantora e comerciante Carla Sanches informou ao Acorda Cidade que o movimento nos bares dentro do Mercado de Arte caiu bastante pela não realização dos shows que aconteciam nos dias de sábado. Segundo Carla, este é outro problema que está afetando muitos comerciantes.

“A gente começava os shows às 14h e não está tendo nenhum evento aqui no Mercado, os bares começam a ter queda nas vendas e precisamos pagar as nossas contas também. Queremos que os shows voltem a acontecer, inclusive nem eu que sou da casa tenho a oportunidade, mas só queremos que os shows não parem”.

O presidente da Associação dos Comerciantes do MAP, Ronildo Carlos Silva, explicou que as novas normas estabelecidas tem como propósito, promover a segurança do local.

“Todo espaço tem normas, inclusive pela própria segurança do espaço, ao exemplo de um caixa eletrônico que temos em nossa área interna, toda essa questão de responsabilidade, está sob cargo da diretoria, e tomamos algumas decisões visando a segurança do espaço e também dos funcionários”, disse.

Ainda segundo o presidente, o MAP funciona em horário comercial até às 18h e a partir das 19h, as lâmpadas da área interna são desligadas.

“Cada comerciante aqui, tem a sua rede de energia própria em cada box, então como as redes são independentes, eles podem ficar no espaço até o horário que quiserem, mas por questão de economia, desligamos as lâmpadas às 19h. Em relação a saída de clientes, estamos vendo uma solução como alternativa, no momento em que o cliente for sair, o comerciante aciona o segurança para que o mesmo faça a religação de algumas lâmpadas próximo do box, para que esse cliente possa se deslocar com segurança dentro do Mercado de Arte”, afirmou. 

Compartilhe essa notícia

image image image image image image

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

Mais Notícias

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

image

Rádio acorda cidade