Brasil

Chuvas deixam 19 mortos, fazem rios transbordarem e alagam cidades no estado de São Paulo

Em Várzea Paulista, no interior de SP, cinco pessoas da mesma família morreram. Entre as vítimas, um bebê de um ano.

30/01/2022 19h26, Por Gabriel Gonçalves

image image image image image

Compartilhe essa notícia

image image image image image

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

Acorda Cidade

As chuvas fortes que atingem São Paulo desde sábado causaram 19 mortes, informou o governador João Doria (PSDB). Do total, sete vítimas são crianças. Ainda segundo o governo paulista, cerca de 500 pessoas estão desalojadas em 11 cidades do estado. Os temporais também causaram deslizamentos de terra, transbordamento de rios e alagamentos. Doria anunciou a liberação de R$ 15 milhões para as cidades afetadas.

A situação até o momento, segundo informações do governo de São Paulo e da Defesa Civil:

Em Várzea Paulista, no interior de São Paulo, cinco pessoas da mesma família morreram após a casa em que moravam ser atingida por um desmoronamento. As vítimas são um casal, um bebê de um ano e duas crianças, uma de 10 e outra de 12 anos;

Em Embu das Artes, na Grande São Paulo, três pessoas, também de uma mesma família, morreram após uma casa ser atingida por um deslizamento de terra na madrugada deste domingo. As vítimas são a mãe e dois filhos — uma menina de quatro anos e um rapaz de 21 anos. Quatro pessoas conseguiram escapar;

Em Jaú, no interior de São Paulo, um homem de 61 anos morreu afogado após ter a casa invadida pela chuva;

Em Arujá, na Grande São Paulo, um homem de 59 anos morreu depois que seu carro ficou submerso;

Em Ribeirão Preto, na noite de sexta-feira (28), um homem de 57 anos foi arrastado pela enxurrada;

Quatro pessoas morreram em Francisco Morato, sendo três crianças e um adolescente;

Quatro pessoas morreram em Franco da Rocha; há ainda oito feridos e quatro desaparecidos;

Em nota, o Ministério do Desenvolvimento Regional lamentou "as vidas perdidas" e se disse "à disposição" para ajudar. Secretário Nacional de Proteção e Defesa Civil, o coronel Alexandre Lucas visitará São Paulo nesta segunda-feira (31).

Botes para resgate em Franco da Rocha e Francisco Morato

A Prefeitura de Franco da Rocha afirmou que as equipes estão mobilizadas no resgate de vítimas de um deslizamento de terra na Rua São Carlos, no Parque Paulista, que fica na divisa com Francisco Morato. Três pessoas morreram no local. Sete pessoas foram resgatadas com vida, mas uma morreu no local.

Equipes da Defesa Civil e do Corpo de Bombeiros usaram botes para resgatar moradores na manhã deste domingo (30), em Franco da Rocha, na região metropolitana de São Paulo. Devido às fortes chuvas que atingiram a região, o Ribeirão Eusébio e o Rio Juquery transbordaram, deixando a área central da cidade alagada.

Na tarde deste domingo, voluntários cavavam a região afetada em busca de sobreviventes de deslizamento.

Além disso, um deslizamento de grandes proporções atingiu três casas no bairro Parque Paulista, em Francisco Morato, por volta das 7h deste domingo (30). Foram resgatadas cinco vítimas com vida, que foram encaminhadas para o hospital Estadual Lacaz, de acordo com a Prefeitura.

"A situação ainda é bastante preocupante, a água ainda não deu sinal de baixar. Estamos com várias solicitações de atendimento porque houve vários deslizamentos", disse Nivaldo da Silva Santos, prefeito de Franco da Rocha, em entrevista à GloboNews.

Segundo o Doutor Nivaldo, como é conhecido o prefeito, a chuva insistente ao longo da semana, com grande volume em um intervalo de 12 horas, causou o problema. "Foram mais de 115 milímetros de água, isso contribuiu para o deslizamento".

Na entrevista, o prefeito informou que teve uma conversa por telefone com o governador de São Paulo, João Doria, que se prontificou a enviar suporte à cidade.

Além do envio, Doria sobrevoou a região nesta tarde junto do Secretário-Chefe da Casa Militar e Coordenador da Defesa Civil, Alexandre Monclús Romanek, e do Secretário de Desenvolvimento Regional, Marco Vinholi.

Caieiras

Em Caieiras, na Grande SP, as chuvas deixaram casas e ruas completamente alagadas. Muita gente ficou ilhada, e o resgate está sendo feito por tratores da Prefeitura e caminhões.

Os pontos de alagamento ainda deixaram muita gente presa no trânsito, impossibilitados de transitar pelas ruas. O acesso a outras cidades também está impossibilitado. A cidade registrou ainda um deslizamento de terra, em que ninguém ficou ferido.

De acordo com o prefeito Nivaldo da Silva Santos, toda a área baixa da cidade está alagada. Ainda não há número de desabrigados ou desalojados pelas chuvas.

Várzea Paulista

Uma equipe da Defesa Civil procura por quatro pessoas desaparecidas de uma família, na manhã deste domingo (30), no Jardim Promeca, em Várzea Paulista (SP). O corpo de um homem já foi retirado da casa pela equipe.

De acordo com o órgão, na cidade choveu 88 mm nas últimas 72h. O bairro mais prejudicado foi o Jardim Promeca, a região onde há desaparecidos.

Segundo a Defesa Civil, as buscas estão sendo realizadas no imóvel da família. Uma grande quantidade de terra de um morro desmoronou e atingiu um dos quartos do casal e das crianças.

As chuvas intensas em Várzea Paulista fez o Rio Jundiaí também invadir a Avenida Marginal. Segundo a prefeitura, a via está interditada em ambos os lados. Se for necessário, a orientação é usar a via alternativa pela Avenida Duque de Caxias.

Bauru

A chuva que atingiu a região de Bauru (SP) entre a noite deste sábado (29) e madrugada deste domingo (30) abriu uma cratera nos dois sentidos no acesso da Avenida Rodrigues Alves à Rodovia Comandante João Ribeiro de Barros.

Segundo a Artesp (Agência Reguladora de Serviços Públicos Delegados de Transporte do Estado de São Paulo), há interdição total da via que dá acesso a bairros da cidade também.

Os recursos anunciados pelo governador paulista serão destinados aos municípios de Arujá (R$ 1 milhão), Francisco Morato (R$ 2 milhão), Embu das Artes (R$ 1 milhão) e Franco da Rocha (R$ 5 milhão), na Região Metropolitana de São Paulo, e Várzea Paulista (R$ 1 milhão), Campo Limpo Paulista (R$ 1 milhão), Jaú (R$ 1 milhão), Capivari (R$ 1 milhão), Montemor (R$ 1 milhão) e Rafard (R$ 1 milhão), no interior do Estado.

Vacinação suspensa na capital paulista

A vacinação contra a Covid-19 foi extraordinariamente suspensa na cidade de São Paulo neste domingo (30), por causa das fortes chuvas e para segurança dos cidadãos, funcionários e também do procedimento de vacinação, de acordo com a Prefeitura.

A aplicação da vacina estava prevista para acontecer em seis parques e duas farmácias na Avenida Paulista.

A partir de segunda-feira (31), a vacinação contra a Covid-19 volta a acontecer nos megapostos e drive-thrus, das 8h às 17h, e nas UBSs e AMAs/UBSs Integradas, das 7h às 19h. Ao público de 5 a 11 anos de idade, nas 470 UBSs, das 8h às 17h.

Chamados dos bombeiros

O Corpo de Bombeiros informou que durante a madrugada deste domingo, por conta das chuvas, foram registrados 6 chamados para desabamentos ou desmoronamentos, 3 chamados para alagamentos e 47 para quedas de árvores.

 

Fonte: g1

Compartilhe essa notícia

image image image image image image

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

Mais Notícias

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

image

Rádio acorda cidade