Briga de vereadora e gerentes da Caixa vira caso de polícia

A vereadora ameaça ir à Polícia. A Associação de Gestores quer que ela prove o que disse.

24/11/2009 às 11h37, Por Dilton e Feito

Compartilhe essa notícia

Ouça as entrevistas no PodCast

A vereadora Eremita Mota (PP) disse hoje (24), que vai pedir segurança de vida à polícia, por conta dos desdobramentos do caso envolvendo representantes da Caixa Econômica Federal. Ela voltou a negar a acusação de tráfico de influência por gerentes da instituição financeira e reafirmou que foi coagida a se retratar sobre denúncia de favorecimento de pessoas no Programa Minha Casa, Minha Vida. Só que a vereadora também pode ser acionada judicialmente pela Associação de Gestores da Caixa Econômica Federal do Interior da Bahia.

"Sou mulher e por isso mais vulnerável a qualquer tipo de ameaça e represália", justificou a vereadora, a propósito do pedido de proteção policial. Sobre opronunciamento que gerou a situação, ela foi enfática: "Eu assumo o que eu disse. Não falei que havia tráfico de influência, se houve essa interpretação, eu posso rever". Eremita manteve a denúncia de coação por parte dos representantes da Caixa, durante encontro no gabinete da Presidência da Câmara Municipal.

Afirmando ter em mãos as provas de que a vereadora disse, em entrevista a uma emissora de rádio, que tinha pessoas comprando 20 a 30 casas com a conivência dos gerentes da Caixa, o presidente da Associação de Gestores, Regimário Araújo, garantiu que não houve qualquer tipo de pressão ou ameaça contra a parlamentar. "Queríamos que ela nominasse os gerentes ou se retratasse", contou, admitindo que sugeriu que ela fosse às emissoras de rádio "desfazer" o que havia dito, mas ela se negou.

Regimário Araújo esclareceu que não foi à Câmara como gerente da Caixa, mas como dirigente da entidade. Ele considerou que Eremita foi infeliz nas declarações que fez e disse que ela própria sugeriu fazer uma carta para a Associação de Gestores, informando que não quis "agravar os gerentes da Caixa". Só que diante da repercussão e das novas declarações da vereadora, Regimário disse que a entidade vai exigir que Eremita prove "o que anda dizendo por aí".

Madalena de Jesus, com informações do repórter Ney Silva.

Compartilhe essa notícia

Categorias

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Mais Notícias

image

Rádio acorda cidade